quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Entrevista com Dave Wilson!

Bom dia família Toro de Calle! No último domingo deveríamos ter postado a entrevista que fizemos com Dave Wilson, mas por motivos de força maior não pudemos fazer o post. Logo logo vocês saberão qual foi o motivo, mas continuando a falar sobre a entrevista ela foi planejada para ser realizada pessoalmente com o Dave durante o show ABKC que aconteceria aqui no Brasil, mas como não foi possível resolvemos não deixar a ideia de lado, mudamos algumas perguntas e focamos mais no criador Dave Wilson e abordamos algumas curiosidades. É claro que alguns assuntos sobre ABKC não poderiam passar em branco. 
Então chega de lenga lenga e vamos a ela!
Dave Wilson fundador da ABKC e Razor Edge.
Toro de Calle: A Razor Edge mandou no cenário Bully durante muito tempo e agora vemos a ascenção de outras linhas. Como criador, como vê essa "evolução" dos American Bully? 

Dave Wilson: Razors Edge foi a primeira a chamar os cães de American Bully, nós criamos esse nome e optamos por usá-lo para nossa linha. Nós sentimos que havia bastante mudança na linha em diferentes direções, o que mostrava que o mundo havia escolhido um novo nome para representar o estilo. Nós escolhemos o nome por respeito à raça original; uma vez que fizemos isso, então, criamos um registro para validar estes cães. Depois disso, Gottiline também decidiu por usar o mesmo nome e o levou para o ABKC. Assim, os American Bullys originais eram apenas da Razors Edge ou linhagens Gotti. Conforme o tempo foi passando essas linhas foram misturadas e muitos nomes novos foram surgindo. Refiro-me a eles mais do que como nomes, mas como linhagens. Todos os American Bullies voltaram a Razors Edge ou Gotti, então tudo que você vê na raça ou é produzido em uma dessas linhas ou uma mistura deles. Você não pode criar uma única linha indefinida ou terá muitos problemas, por isso é inevitável que o cruzamento aconteça. Tem que ser assim para manter a raça limpa, então eu não vejo a Razor Edge como tendo saído de cena. Eu vejo como a raça evoluiu de suas linhagens originais em uma mistura de ambas. A linha não acabou, ela só evoluiu.

Toro de Calle: Certa vez li que a Razor Edge era uma linha de sangue para criadores experientes, porque escolher um bom filhote era muito complicado,  pois são tidos como cães tardios, você concorda com essa afirmação? Se sim credita a esse motivo o grande número de criadores aderindo as linhas mais precoces?

Dave Wilson:O problema com esta questão são os termos "experiente e criadores", que são usados de forma muito ampla. Muito do que se vê hoje são pessoas novas na criação, pessoas que não tem uma história ou tempo de experiência na criação. Para mim é muito fácil de determinar como um filhote será quando adulto na minha linha. Eu sei que meus cachorros, na idade de 6 a 8 semanas, estarão muito parecidos com a forma adulta. Após 8 semanas eles passam por muitas mudanças e não costumam voltar a sua estrutura anterior. Hoje em dia, muitas pessoas querem gratificação instantânea, ou seja, elas querem tudo e querem agora. O problema com isto é que estes cães que amadurecem rapidamente, mas também se deterioram rapidamente. Para ter cães bons e saudáveis que você tem que ter paciência, entender as linhas, saber o que procurar e estar disposto a esperar. Assim, pessoas que esperam resultados rápidos acabam criando cachorros que amadurecem rápido, mas que no futuro tem muitos problemas e pouca durabilidade.

Toro de Calle: Em um momento em que um muitos começam a adquirir cães para criar, na sua opinião qual é a diferença entre criadror e proprietário?

Dave Wilson: Eu vejo poucos criadores de verdade. A maioria deles são canis buscando fama e dinheiro. Um verdadeiro criador não busca por isso, ele precisa ser um criador cada vez melhor, deve aprender mais sobre os cães, estabelecer planos, objetivos, propósitos e dedicar seu tempo a criação.

Toro de Calle: Qual foi o seu momento mais difícil na criação?

Dave Wilson: No meu tempo era diferente, os Bully’s não existiam realmente e não havia uma linha que tivesse todos os traços que eu queria para os meus cães. A maior parte dos criadores que produziam cães com o estilo que eu queria não os vendiam, não era algo que eles produzissem constantemente, então era muito difícil encontrar um criador, ou linhagem com todos os traços pelos quais eu procurava. Para mim, isto foi uma jornada, juntando diferentes partes para encontrar o cão final. Esta não foi uma tarefa fácil, juntar partes significa usar linhas bastante diferente, aprender como isolar traços, como incorporar estes traços aos meus cães existentes e como manter e reproduzi-los de forma consistente. Este trabalho foi uma série de tentativas e erros antes do sucesso. Atualmente, estes cães existem e os traços estão todos aqui, então é muito fácil fazer com que estes cães reproduzam os traços desejados; mas quando você começa do zero, é preciso muito trabalho e muitos anos para trazer os traços a tona, remover os resultados indesejáveis e seguir adiante.

Lil Cairo um dos principais cães quando o assunto é RE.
Toro de Calle: Lil Cairo foi o melhor cão que você produziu?

Dave Wilson: Lil Ro não foi meu melhor cão. Mas foi um novo estilo que se tornou muito popular. Ele foi o cão que desencadeou a era do Pocket Bully, antes de Lil Ro a maior parte dos criadores estava produzindo cachorros grandes e Lil Ro era o único pequeno. Embora neste tempo ele estivesse na altura desejável para a classe Pocket do ABCK, ele foi considerado pequeno. Eu tinha certeza que se usasse certas distensões em minha criação, os cães se tornariam menores e mais compactos. Eu tentei não pegar muito pesado com essas distensões porque não queria cães pequenos demais para o meu gosto. Lil Ro foi um cão único naquele tempo: ele era mais compacto e baixo que a maioria dos cães ao redor e continuou mantendo a cabeças e os ossos do tamanho dos cães grandes. Ro fez coisas que nenhum outro cão fez para o mundo Bully, ele deu a mim o interesse na criação. Nós fizemos muitas promoções com ele fora do mundo Bully daquele tempo: nós o levávamos a exposições de carros, convenções de tatuadores, shows de rap e até mesmo em boates: cruzamos tantos novos níveis com Lil Ro que isso promoveu e impulsionou esta raça a novos públicos e novos níveis. Lil Ro tinha algo diferente, que atraía as pessoas, então eu não posso dizer que ele foi a minha melhor produção, mas eu direi que ele foi único para seu tempo e um cão muito especial.

Toro de Calle: Hoje tem algum cão com idade menor que 18 meses que você aponte como o futuro da Razor Edge? 

Dave Wilson: Atualmente a Razor Edge é apenas eu e minha família, infelizmente mesmo com todas as coisas que fizemos para o mundo Bully no passado, eu não tenho mais tempo para focar no meu canil. Tenho alguns cães incríveis e outros que ninguém viu ainda, mas irei lança-los no momento certo.


Toro de Calle: Existe algum comentário entre os criadores nos EUA sobre algum criador ou cão que está aqui no Brasil?


Dave Wilson: Eu ainda não estou tão familiarizado com os criadores do Brasil, a ABCK tem um escritório que trabalha com muitos deles e existem pessoas no Brasil que os ajudam com as certificações, eles possuem mais conhecimento do que eu. O que eu vejo é que no Brasil existe muito apreço e amor pela criação. Eu espero poder visitar o Brasil em breve e ter a oportunidade de conhecer os criadores e grandes apoiadores da raça lá.

Toro de Calle: Já vendeu alum cão que gostaria de ter aproveitado no seu programa? 

Dave Wilson: Eu vendi muitos cães ao longo dos anos e alguns deles eu poderia ter usado no meu programa. Voltando aos anos 80, quando eu estava comprando cães, era muito difícil encontrar um criador que vendesse cães de alta qualidade. Então, eu prometi que quando eu tivesse a minha linha, eu ofereceria sempre os meus melhores cães para venda. Eu acredito que isso é, em parte, a razão pela qual a Razor Edge e os Americam Bully cresceram tão rápido.

Toro de Calle: Qual cão que não tenha nenhum parentesco com sua linha de sangue te enche os olhos? Teria possibilidade de acrescenta-lo a Razor Edge? 

Dave Wilson: Eu já fiz isso; no meu quintal eu tenho duas linhagens de cães. Eu tenho cães Razors Edge puros para continuar a minha linhagem, e também tenho uma mistura de linhagens que existem nesta raça para mostrar o que eu sinto que é a representação final do American Bully. Então fique atento, em breve vou mostrar às pessoas os segredos nos quais eu tenho trabalhado.

Toro de Calle: Quando disse que o entrevistaria algumas pessoas me cobraram algumas perguntas com relação a ABKC. E recentemente tivemos o cancelamento do Bully Show que aconteceria no Brasil, acredita que esse fato pode ter fechado as portas para outros eventos?

Dave Wilson: De maneira nenhuma, a razão do cancelamento foi a confusão com a comunicação e o planejamento, desde então temos tido mais interesse em um evento deste tipo e existem pessoas trabalhando nisto neste momento. Em breve teremos muitos eventos ABKC no Brasil e eu estou muito animado para isso.

Toro de Calle: Há uma grande dificuldade de se formar árbitros da ABKC fora dos EUA e sendo assim a realização de shows se torna algo muito custoso justamente por conta da importação dos julgadores. Não vê isso como algo ruim para a internacionalização do registro? 

Dave Wilson: Este é o ponto em que o ABKC é muito diferente em relação aos demais registros; nós levamos os nossos juízes muito a sério. Fazemos treinamento intensivo com os nossos juízes, bem como programas de aprendizagem. Nosso objetivo é fazer com que tenhamos juízes e representantes em vários países ao redor do mundo, mas nós, como ABKC temos que garantir que esses juízes são bem treinados e muito bem informados sobre as raças e os padrões. Então para os eventos iniciais é necessário utilizar os juízes existentes, é de grande ajuda ter um juiz experiente nestes eventos para ajudar no treinamento. Com o tempo, haverá mais juízes locais treinados, mas sim no início é necessário um pouco mais de tempo e treinamento.

Toro de Calle: Sendo dois grandes criadores e personalidades que fizeram muito pela comunidade Bully como foi a saída do Marco Suarez da ABKC? Ficou alguma mágoa?

Dave Wilson: Há ótimas pessoas que fizeram um grande trabalho na comunidade, não foi uma única pessoa que fez isso, isso foi feito por uma comunidade. Eu não vejo qualquer pessoa como sendo mais influente ou importante, então, é o seguinte, foram os integrantes da comunidade trabalhando juntos que o criaram e o tornaram o que é hoje. Na medida em que a perda de um membro da nossa comunidade e organização, que é como eu vejo isto, às vezes as pessoas estão olhando para as recompensas financeiras e quando as ofertas acontecem algumas pessoas tendem a ir nessas direções, é a vida. Eu nunca quero perder ninguém de nossa comunidade, mas para mim eu sei que a ABKC foi a organização que criou esta raça. A ABKC nos deu uma casa quando nós não tínhamos. A ABKC criou os critérios de raça, os padrões da raça, e deu à raça a sua validade. Sem a ABKC não haveria American Bully. Para mim a lealdade é mais importante do que qualquer fator financeiro. Eu permaneço fiel ao que nos criou, essa é a minha opinião.

Toro de Calle: Nos próximos anos podemos esperar um Dave Wilson mais empenhado na criação e pronto para voltar a dominar o jogo?

Dave Wilson: Eu dediquei minha vida a isso, para mim, isso não é um negócio, é uma obrigação que devo a uma raça e à comunidade. Eu não procuro o domínio, não procuro o controle, meu propósito é servir. Eu trabalho para esta raça e para todos os que a apoiam. Eu não estou aqui para ser a sua concorrência, nem estou aqui para ser o líder. Estou aqui para fazer a minha parte, que é servir a comunidade e trabalhar para ajudar a proteger e preservar esta raça. Estou sempre ocupado, eu posso não estar em todos os fóruns, posso não estar em todos os eventos, mas com certeza eu nunca paro de trabalhar em prol desta raça. É aí que Dave Wilson sempre fez e sempre fará, como eu disse, para mim isso é uma obrigação. Sou leal a esta raça e àqueles que a apoiam.

Toro de Calle: Deixe uma mensagem para a comunidade Bully no Brasil.

Dave Wilson: O que eu tenho a dizer para a Comunidade Bully no Brasil, em primeiro lugar, desfrute desta raça. Esta tem sido uma raça que tem mantido as pessoas unidas; ajudou-nos a atravessar muitas barreiras na vida. Esta raça tem unido pessoas de todas as raças, todas as religiões, todas as regiões; manteve-nos unidos como uma família com um interesse comum e títulos. A beleza desta raça tem sido a diversidade de seus defensores, e a camaradagem que todos nós compartilhamos. Não cometa os erros de olhar para a pessoa ao seu lado como seu concorrente, ou pior, seu inimigo. Sem todos trabalhando juntos isso nunca teria acontecido, lembre-se sempre , somos uma família .
Esta raça é uma raça que sua única finalidade é agradar seus donos, são as maiores características dos donos da raça. Lembre-se sempre que nós representamos a raça e devemos o positivismo a esta raça e que devemos fazer a nossa parte para ajudar a promover esta raça de uma forma positiva.
A ABKC é o registro original que criou esta raça e deu a todos nós uma casa; por favor, dê a ABKC a oportunidade de trabalhar com e para você. O Brasil é um país bonito, com pessoas incríveis e alguns Bullys muita bons, a ABKC está ansioso para trabalhar com o Brasil para o futuro desta raça, e agradecemos a todos pelo apoio.
Quero agradecer pessoalmente pela oportunidade de fazer esta entrevista e agradecer àqueles que gastam seu tempo para ler isto. Para mim foi uma grande honra trabalhar para a raça e servir esta comunidade. Estou ansioso para chegar ao Brasil no futuro e conhecer a todos. Muito respeito a todos...

Bom galera essa foi a entrevista que realizamos com o Dave. Esperamos que tenham gostado e que tenha servido de informação, aprendizado e incentivo. Até a próxima!

domingo, 14 de setembro de 2014

Passa rápido...

Galera o post de hoje será bem curto! Há algum tempo estamos tentando trazer algumas novidades para o blog e hoje quando fui publicar o post dominical percebi que em algumas semanas nós iremos fazer um ano de Toro de Calle Off. 
O blog foi criado para aproximar as pessoas que curtem o nosso trabalho da nossa realidade e do nosso dia a dia. Ao londo desses meses muitas opiniões, apresentações e post informativos foram postados aqui todos os domingos. Pedimos desculpas por algumas ausências, mas é que nossos filhos de 4 patas dão o maior trabalho e muitas das vezes não sobra tempo para trazer algo novo ou até mesmo perdemos o horário de fazer a postagem. 
Ultimamente venho percebendo que diversos criadores têm criado seu canais de comunicação para passar suas experiências e isso nos deixa muito feliz. Esse contato é muito importante. Quando começamos o nosso maior contato com o mundo dos American Bullies era um blog chamado Bullinesco. O blog ainda é atualizado e até hoje nós acompanhamos suas postagens. Entendemos que tão importante quanto a evolução do plantel nacional é a evolução dos criadores que fazem uso dos cães. E nada mais importante que a troca de informações e experiência entre nós. 
Para celebrar esse 1 ano de blog nós iremos publicar na próxima semana uma entrevista exclusiva que fizemos com Dave Wilson. Nela falamos sobre sua experiencia na criação, Razor Edge e ABKC. As novidades não irão parar por aí logo traremos mais novidades e prometemos um blog repaginado, com mais informação e muita opinião. Mais uma vez agradecemos todas as mensagens de apoio e incentivo que recebemos em nossa página. Iremos seguir trabalhando para que o trabalho seja eternizado por conta das nossas histórias. 

domingo, 7 de setembro de 2014

E a queda de braço continua...

Fala família, boa tarde! Em primeiro lugar quero pedir desculpas pela ausência de posts nos dois últimos finais de semana, mas o motivo é bem relevante, pois os filhotes estão dando muito trabalho! Em segundo lugar estamos empenhados em trazer novidades para os leitores do blog e logo divulgaremos algumas novidades.
Bom, mas parando de rodeios vamos ao tema de hoje. Há algum tempo, mais precisamente depois do cancelamento do show da ABKC que aconteceria em Blumenau-SC, tenho me dedicado a observar essa situação como algo sintomático e ir além do simples cancelamento de um evento. 
Para começar o evento teve pouca, alias nenhuma adesão dos criadores do nosso país. Esse fato por si só já apontaria a falta de importância que o registro ABKC vem tendo com o passar dos anos. Porém também existe o fato que sempre menciono aqui. Será que grandes criadores gostariam de colocar seus cães renomados ao lado de cães menos badalados dispostos a perder em um show? Como já falamos bastante sobre isso não iremos novamente nos aprofundar.
Mr. Miagi divide opiniões em todo o mundo.
Mas o fato novo ao menos para mim é como o Mr. Miagi tem ganhado força. Ao que parece, Miagi seria o próximo passo da raça depois de Dax. Confesso que se a raça estiver caminhando para este fenótipo esse fato me deixa preocupado, mas também confesso que existem muitos cães descendentes diretos realizando bons trabalhos, produzindo cães bem próximos de fenótipos que seriam facilmente aceitos pela ABKC. E voltando a ela, a recente saída de Marco Suarez serviu para enfraquecê-la ainda mais e com o grande número de criadores aderindo cada vez mais o sangue Miagi, creio que o Miagi Blood esteja mais próximo de ganhar essa queda de braço, pois está em ascendência. Só resta saber se a ABKC irá voltar atrás e permitir a emissão de pedigrees de cães descendentes do Miagi ou se manterá o discurso de NÃO ACEITAMOS ESSES CÃES AQUI!
Visto o cenário, acreditamos que o discurso da ABKC soa meio hipócrita aos nossos ouvidos, pois existem cães com o fenótipo bem diferente do padrão aprovado pela entidade que são registrados e formam linhas de sangue fixando essas características. Muitos afirmam que há uma rusga pessoal entre as partes envolvidas ABKC x Miagi e que isso é o que dificulta a entrada dessa linha de sangue na entidade. 
Aceitar Miagi é decretar fim a história de que os American Bullies surgiram dos AST e APBT e assumir a inserção de outras raças o que em nosso ponto de vista essa é uma história que cada vez mais perde força ao passo que vemos alguns cães frutos de repetidos cruzamentos fechados principalmente de origem gottiline que trazem a tona dentre outros pontos indesejados muitas rugas e fuço muito curto, características marcantes de outras raças. Só nos resta saber se as entidades que registram Miagi Blood serão tão efetivas com relação a shows e eventos em prol da raça ou se será apenas um registro com a intenção de lucrar em cima de uma "falha" da ABKC. Melhor seria se as entidades chegassem a um acordo e definissem de forma bem clara o que pode e o que não pode.