domingo, 29 de junho de 2014

Inscrições abertas!

Fala galera, beleza? Na quinta-feira foram abertas as inscrições para o primeiro show da ABKC no Brasil. Como já havíamos anunciado aqui, o show acontecerá no dia 23 de agosto e contará com a presença ilustre do Dave Wilson. Importante informar que não teremos mais a presença do Marco Suarez como havíamos dito, pois o mesmo não integra mais o quadro de juízes da ABKC. 
Multiplique por 2,54 e obtenha os valores em cm.
As competições acontecerão nas seguintes categorias Pocket, Standard, Classic, Extreme e cães sem pedigree ABKC. Em todas elas teremos a divisão de cães de acordo com três faixas de idade do cão. De 3 a 6 meses, de 6 a 12 meses e de 12 meses em diante. Os cães premiados receberão medalhas e Best in Show troféu. Será permitido acampar no local desde que informado previamente, mas os organizadores passaram uma relação de hotéis tanto para os proprietários quanto para os cães (lista ao final). Também serão disponibilizados stands para locação, esses por sua vez servem para Lojas e canis, o valor de cada stand é de R$400,00. Falando em preço, a entrada é de R$10,00 para visitantes com a possibilidade de almoço por mais R$25,00 além da entrada. Quem for expor seus cães a inscrição será no valor de R$175,00 no caso de somente um cão escrito, R$140,00 para o segundo cão escrito, R$125,00 para o terceiro cão escrito, R$110,00 para o quarto cão inscrito e R$90,00 para o quinto e demais cães inscritos. Além disso alguns produtos da ABKC também estarão à venda como chaveiros (R$15,00 cada), adesivos (R$8,00 cada) e camisetas show (R$35,00 cada).
Para fazer a inscrição do seu cão no Show basta preencher a ficha abaixo e assinalar todas as informações, no caso de compra de algum produto basta escrever em caráter de observação na própria ficha informando o produto desejado e quantidade. Tudo deverá ser pago através de depósito bancário e enviado juntamente com a ficha para o e-mail: abkcbrasilsantacatarina@gmail.com
Todas as informações referente ao pagamento encontram-se nesta ficha.
Endereço do evento: Clube Blumenauense de caça e tiro. Rua Itajaí, 2560, Vorstar, Blumenau - SC.

Lista de hotéis cedida pelos organizadores: 
Hotel Plaza (47 - 3231-7000)
Ibis Blumenau (47 - 3221-4700)
Himmelblau Palace Hotel (47 - 3036-5858)
Hotel Glória (47 - 3326-1988)
Hotel Blumenholf (47 - 3326-4868)
Hotel Kloppel (47 - 3340-5086)

Hotéis para cães: 
Clube mascotes (www.facebook.com/clubemascotes)
Casa do Cão Colônia de Férias (facebook.com/casadocaoblu)

Todas as informações foram cedidas pelos organizadores.

domingo, 22 de junho de 2014

Hoje é top, amanhã não se sabe...

Fala aí família! Hoje eu queria ser mais ameno e fazer um post mais informativo e menos pessoal, mas sabe como é né? Não deu! Isso por que no meio da semana tivemos uma discussão sobre as importações que estão sendo feitas por criadores brasileiros nesses últimos meses. Ficamos meio "confusos" (talvez essa não seja a palavra correta) ao perceber que muitas das importações feitas são máquinas ao serem anunciadas e meses depois caem no esquecimento comum. E isso não se restringe a importações, algumas produções que também são anunciadas como um divisor de águas dentro da criação nacional ficam de lado e chegam até a não produzir uma ninhada sequer.
Parece que o tempo de "vida útil" de um American Bully é menor do que as outras raças. É incrível como alguns cães em um espaço de um ano vão de ótimos representantes a cães ultrapassados na criação. E assim fica aquela impressão de que o trabalho não tem continuidade! 
É claro que isso não é um problema dos cães, chegamos a conclusão que por ser uma raça relativamente nova e por ser novidade em nosso país a chegada de um novo cão em nosso território tornou-se uma ferramenta para se reafirmar como criador. 
Longe de criticar o ato de importar, o que nós gostaríamos de ver é o resultado dessas importações serem levados adiante em sérios programas de criação e quem sabe um dia serem tão exaltados quanto os cães que um dia desembarcaram em nosso país.

domingo, 15 de junho de 2014

DNA em nome da magia.

Hoje seremos rápidos e objetivos para expor nossa opinião sobre um tema que serviu de debate há algum tempo nas redes sociais. A realização de exames de DNA para legitimar determinados cães. Isso existe e bastante comum quando o assunto é American Bully e o motivo disso são as constantes "mágicas" que alguns criadores fazem em suas criações.
Essas "mágicas" acontecem quando as produções de alguns cães fogem totalmente do fenótipo dos seus ancestrais diretos. O aspecto abulldogado de alguns também são constantes alvos desses exames. Porém a forma como a ABKC propõem a realização do exame é discutível, uma vez que quem realiza a coleta do material é o próprio criador que no caso de já está mal intencionado (isso não é indireta para ninguém) tende a manipular o exame de forma que o resultado seja favorável a seus objetivos. 
Acreditamos que o exame de DNA só seria efetivo se fosse feito em toda a cadeia do cão suspeito, de forma que comprovasse a árvore genealógica de ao menos 4 gerações passadas. Seria primordial também que o exame fosse regra para as próximas gerações e principalmente que o sistema de coleta fosse imparcial. Enquanto isso não for feito continuaremos vendo "mágicas" sendo comprovadas pela ciência! 

domingo, 8 de junho de 2014

Um registro para cada cão.

E aí família Toro de Calle, beleza? Semana passada fomos “obrigados” a escrever sobre um tema não muito legal, mas nosso objetivo foi de tranquilizar e alertar vocês sobre o assunto. Hoje vamos falar sobre uma questão crescente na raça American Bully. Os surgimentos dos diferentes tipos de registros.
Em um tempo não muito distante o American Bully era apenas um fenótipo dentro da raça American Pit Bull Terrier, porém em 2004 foi criado o primeiro registro (ABKC) com o objetivo único de registrar esses cães e basicamente nesta data o American Bully se tornava formalmente uma raça independente. Depois por alguns conflitos de interesses (e preste bastante atenção neste termo) sugiram alguns outros registros como o IBKC, ABBA, EBKC, U.S. Bully Registry, RKC, BBCR entre outros com o objetivo principal de registrar os American Bullies que por algum motivo não atendiam os interesses daquela primeira instituição criada. Além desses existem outros registros que também passaram a registrar a raça, mas não tem nela seu foco principal que é o caso da CBKC, UKC e SOBRACI por exemplo. Então parando para fazer uma reflexão não me lembro ou simplesmente desconheço alguma outra raça com um número de possibilidades de registro tão grande quanto o American Bully. Isso se deve em primeiro lugar a falta de um padrão estabelecido pela própria ABKC o que abriu espaço para que outros grandes criadores e profissionais cinófilos criassem seus próprios registros.
É claro que o fato de termos vários tipos de registros diferentes é benéfico até certo ponto visto que não existe um monopólio, mas a quantidade enorme e esse crescimento desenfreado de registros tornam a raça menos homogênea e isso definitivamente não é bom.
Sabemos que alguns desses registros logo cairão em desuso, pois seu trabalho em promover a raça e os criadores que os usam é pequeno, basicamente são escritórios para vender papel. Mas acho que criar seu próprio registro é um caminho sem volta, pois os conflitos de interesses são grandes e a vontade de trilhar seu próprio caminho é enorme.

domingo, 1 de junho de 2014

Letra morta de número 3.205!

Há alguns dias estava escrevendo o post que colocaria no blog de hoje, quando recebi uma mensagem de um dos integrantes do Toro de Calle sobre uma matéria que tinha sido postada no site do jornal O Dia horas antes. Não gosto de dar visibilidade a este tipo de informação, pois acredito que esta é a intenção do jornalista quando publica algo como este, então reescreverei um trecho da matéria: "Os donos de cães da raça pitbull terão que registrar seus animais em delegacias policiais próximas das suas residências. A determinação foi publicada nesta quinta-feira, no Diário Oficial do Estado e assinada pelo secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame. Pela resolução, o registro terá que ser renovado todo ano para atualização de dados e da vacinação anti-rábica. O dono deverá andar com o documento e, se descumprir a resolução, poderá ser multado de R$ 12,50 a R$ 12.500. A circulação e permanência dos cães já é proibida em praias, logradouros públicos e locais em que haja concentração de pessoas, pela lei estadual 3.205 de 1999. A condução do animal só pode ser feita por maiores de 18 anos e ele deve estar com enforcador e focinheira. A importação, comercialização e a criação de Pit-Bulls também são proibidas no estado."
Bom, vou dar aqui mais uma vez a nossa opinião sobre esse tema. Poderíamos chegar aqui e escrever que criamos American Bully e o pedigree dos cães vendidos aos nossos clientes são sempre de American Bully, uma outra raça que tem na sua fundação uma base de cães da raça American Pit Bull Terrier, mas que hoje é uma coisa totalmente diferente. Mas eu não farei isso, pois em primeiro lugar nós assim como a maioria dos outros criadores de American Bully de todo o mundo começamos a criar devido a grande paixão pelos Pit Bulls e segundo que até bem pouco tempo a maioria dos American Bullies possuíam pedigree de American Pitt Bull Terrier.
Essa lei já existe desde 1999 e até hoje cães são comercializados, andam na rua sem focinheira, em qualquer horário do dia, não são castrados e nunca vimos ou tivemos notícia de um proprietário que tenha sido multado ou sofrido qualquer consequência mais séria. Galera! Não se pode tomar uma ação preventiva de origem rácica, pois se fizer isso fica caracterizado como ação preconceituosa. É mais ou menos o caso da proibição do “rolezinho”, não existe julgamento por antecipação ou por aparência, pois fica caracterizado como atitude segregatória e preconceituosa.   Meus cães nunca atacaram ninguém e nem tenho notícias de que nenhum cão de nossa criação tenha atacado. Aqui temos preocupação de selecionar sempre cães extremamente dóceis, pois grande parte dos cães que aqui vendemos são para famílias.
Algumas leis do nosso país são feitas apenas com o propósito de existirem. Quem vai cumprir absurdos como a lei em defesa do Português? Que prevê multa de R$500,00 aos donos de outdoors com erros de ortografia, regência e concordância. Quem vai cumprir a lei que proíbe a venda de camisinhas e anticoncepcionais? Logicamente isso não durou mais do que 24 horas. Até a melancia foi proibida! E não estou falando da dançarina de funk. Em 1894 a fruta foi “acusada” de ser agente transmissor de tifo e febre amarela e sua venda ou consumo foi proibido." 
Como podemos observar a falta de preparo e conhecimento dos nossos políticos é enorme e estão sempre querendo agir na causa e não na origem do problema. Seria muito mais sensato uma lei para regulamentar a criação e esta deveria ter um acompanhamento de profissionais da área responsável. Pit Bull não é caso de segurança pública!  Ah sem contar que em nenhum momento a matéria cita as outras raças que a partir de 2005 foi incluída na lei. Enfim o que gera mídia é o Pit Bull.
Bom os Pit Bulls nunca deixaram de existir, nunca deixaram de procriar e tão pouco multas ou cadastros nas delegacias de polícia serão feitos. Vou falar o que eu sempre digo quando converso sobre o assunto. Acredito que não exista um público tão fiel e defensor da raça no meio da cinofilia quanto o público dos Pit Bulls.  
Mantenham o respeito a raça e seus descendentes e criem com responsabilidade!