domingo, 17 de agosto de 2014

Quem é de verdade sabe quem é de mentira!

Fala aí família, boa tarde! Há um tempo um amigo nosso nos sugeriu que fizéssemos um post dando nossa opinião sobre um outro post publicado em um grupo especializado sobre American Bully que fazia a seguinte pergunta aos membros do grupo: O que faz de você um criador?
Bom, então vamos ao tema. Segundo o dicionário criador é aquele quem cria algo ou quem se ocupa de criação. No nosso caso, a palavra criador carrega mais atributos que não estão descritos no dicionário. 
Em nossa opinião ser criador é seguir o seu caminho, criar cães vai além de manter e reproduzir um macho com uma fêmea. Criar cães é trabalhar os resultados de forma que o cão produzido seja melhor ao menos que um dos seus pais e que por isso deverá substitui-lo. Criar cães é um processo evolutivo dentro do seu plantel. É trabalhar com o que tem e continuar trabalhando com os resultados. Não tem muito haver com quantidade de cães, digo muito,pois é necessário que se tenha um número de cães para que seu trabalho seja de maior impacto. Não acredito em criador com um cão só ou um casal. Outro ponto importante é o grande número de importações ou até mesmo aquisições no plantel nacional. O "criador" importa um casal de cães, cruza, tira a ninhada vende todos os filhotes e com a grana arrecadada compra outros cães, cruza novamente, tira a ninhada e vende os cães novamente, comprando outros que não tem nenhuma relação de sangue com o seu sangue produzido. Muitas das vezes suas produções vão sendo trabalhadas por canis de menor expressão e a grande massa bate palma para o seu grande feito de importar cães e vender suas crias. Esses são reprodutores, que podem ser ótimos no que fazem, mas apenas reproduzem, pois não trabalham o que produziram, é apenas negócio, não há intenção de se fazer um cão melhor do que se tinha inicialmente. Ou uma outra hipótese é o medo de não ter um cão de referencia e por consequência não conseguir vender seus filhotes e com isso a evolução do plantel fica em segundo plano. Hoje existem vários "criadores" de American Bully pelo Brasil. Nunca foi tão legal ser criador, mas dificilmente vejo criadores anunciando ninhadas com ao menos um dos cães do seu plantel. Não tem, é difícil. Logicamente existe um tempo para começar a fazer isso, mas existem "criadores" que estão produzindo cães a muito tempo e não possuem sequer uma homogeneidade em relação ao tamanho do cão. Ou seja o camarada além de não trabalhar o que ele produziu ele ainda não seleciona cães obedecendo nenhum critério. Então depois que ele realiza a cruza, você vira e pergunta: Esse filhote vai ficar de que tamanho? E é nessa hora que o camarada fica louco no pensamento, pois ele não faz ideia, mesmo depois de anos de canil ele ainda sim não faz ideia. 
Então criador em nosso ponto de vista tem que trabalhar o que produz. E olha que nem mencionei os fatos do cotidiano que exigem uma dedicação monstra da nossa parte e que tem muitos que não fazem. Sei de "criador" que deixa a cadela sozinha em trabalho de parto e vai para a balada. Quando volta tem metade da ninhada morta. Agora na boa, isso é ser criador? 
Criar vai muito além do que vemos pela internet. Criar requer muita dedicação e muito trabalho em cima do que você produz. Isso diferencia o criador dos modinhas. 
Galera, essa é apenas nossa opinião e somos humildes o suficiente para saber que só estamos no começo e que ainda há uma longa estrada para percorrermos, mas mesmo com pouco tempo já vamos começar a trabalhar nossos resultados de formar que tenhamos hoje algo melhor que ontem e com relação a crítica é que não precisa de tempo para perceber quem é de verdade e quem é de mentira. Um ótimo domingo a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário