domingo, 15 de junho de 2014

DNA em nome da magia.

Hoje seremos rápidos e objetivos para expor nossa opinião sobre um tema que serviu de debate há algum tempo nas redes sociais. A realização de exames de DNA para legitimar determinados cães. Isso existe e bastante comum quando o assunto é American Bully e o motivo disso são as constantes "mágicas" que alguns criadores fazem em suas criações.
Essas "mágicas" acontecem quando as produções de alguns cães fogem totalmente do fenótipo dos seus ancestrais diretos. O aspecto abulldogado de alguns também são constantes alvos desses exames. Porém a forma como a ABKC propõem a realização do exame é discutível, uma vez que quem realiza a coleta do material é o próprio criador que no caso de já está mal intencionado (isso não é indireta para ninguém) tende a manipular o exame de forma que o resultado seja favorável a seus objetivos. 
Acreditamos que o exame de DNA só seria efetivo se fosse feito em toda a cadeia do cão suspeito, de forma que comprovasse a árvore genealógica de ao menos 4 gerações passadas. Seria primordial também que o exame fosse regra para as próximas gerações e principalmente que o sistema de coleta fosse imparcial. Enquanto isso não for feito continuaremos vendo "mágicas" sendo comprovadas pela ciência! 

2 comentários:

  1. Eu criava cavalos e a mesma má intenção que você citou acontecia e muito. Mas acredito que a coleta apenas do pai e da mãe seria suficiente, mesmo não entendendo muito sobre genética. Mas essa preocupação citada em seu texto é muito válida e pertinente, pois elimina toda e qualquer intenção de "inserção" de papel em determinado cão para valorizá-lo e vendê-lo melhor. Abraços e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Daula! O problema deste caso na criação de cães é que os registros são muito falhos e o DNA comprovando o máximo de gerações possíveis seria importante, pois pode se ter inserção de outras raças em avós por exemplo e o DNA realizado só servirá para atestar que um cão é filho de um determinado casal porém seus avós podem ser cães de outras raças. O assunto por si só já é meio complexo e se torna mais complicado quando depende da boa intenção dos criadores e registros. Muito obrigado pelo seu comentário!

      Excluir