quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Remyline Zenstyle's Pokemon.

Boa noite família! Hoje é dia de conhecer mais sobre uma das lendas da raça. O vídeo de hoje não é novidade, mas vale a pena ver de novo. Na frente da câmera temos Pokemon, sim o Grande Campeão da ABKC e um dos maiores nomes da raça. Se você gosta de American Bully com certeza já viu fotos desse cão. 
Durante muito tempo ele foi sinônimo de American Bully. Com 43 cm de altura, pesando quase 46 kg e dono de uma cabeça com 63 cm de circunferencial, Pokemon foi um dos primeiros grandes nomes da raça e ficou mundialmente conhecido. 
Prestes a completar 9 anos Pokemon não só está bem como também está produzindo. Segundo Sylvia Morales (proprietária), Pokemon realizou na última semana 5 montas, sendo 3 em cadelas locais (EUA) e 2 envios de sêmen para Canada e Itália.
Um cão como Pokemon praticamente não tem preço e é exatamente assim que Sylvia pensa, ela afirmou que recebeu uma proposta de 120 mil dólares para que ela o vendesse e prontamente recusou. 
Um cachorro como Pokemon não se vende, ele faz parte da história, ele resiste a qualquer modismo e sempre será um dos maiores da raça, é um prazer enorme ter um dos seus filhos em nosso plantel. 
Chega de lenga lenga e vamos a uns dos vídeos mais visto no YouTube em se tratar de American Bully, são mais de 800 mil vizualizações. Senhoras e Senhores, Gr Ch Pokemon!


domingo, 30 de novembro de 2014

Padreadores...

Fala família, boa tarde! Já repararam a quantidade de "padreadores" que temos hoje no cenário nacional? Sim são muitos, mas quantos desses "padreadores" são realmente padreadores? Meio controverso, mas vocês irão entender nas linhas abaixo.
Todo criador, sem exceção chama qualquer cão macho que se integra a um programa de criação de padreador. Mas o que é exatamente um padreador? Padreador é aquele macho reprodutor que consegue imprimir em suas proles suas características dentro dos mais diferentes tipos de cruzamentos entre cães de uma mesma raça. Como a criação no Brasil é algo muito novo temos poucos cães que foram testados em diferentes cadelas de diferentes linhas de sangue. 
Então ouvimos: "Fulano de tal é um excelente padreador!" Mas como ele pode ser um excelente padreador se só faz cruzamentos com cadelas com sangue muita das vezes fechado dentro da sua própria linha. Dessa forma o mérito da fixação do fenótipo nos filhotes não é de responsabilidade somente do padreador o mérito é dividido com a fêmea e principalmente da linha de sangue que está por trás daquele cruzamento. 
Pensamos que o ideal na escolha de um padreador é que ele já seja adulto e que já tenha comprovado resultados em diferentes linhas de sangue ou simplesmente que ele já tenha apresentado os resultados que você busca dentro do seu projeto. No caso de escolher um filhote macho com objetivo de que ele seja um padreador faça a opção por um filhote fruto de um cruzamento fechado em cima de um cão ou de uma linha de sangue que você goste, assim as chances de se perpetuar as características desejadas serão maiores. 
Acreditamos que o Dax seja o maior padreador da história da raça até hoje, pois já foi testado em inúmeras linhas e matrizes diferentes e em todas elas apresenta bons resultados.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Pratt's Lil King Kamali.

Boa noite família! Como prometido as quartas feiras iremos apresentar alguns cães que julgamos ser importantes para a raça ao longo de sua história. E para inaugurar, vamos começar com uma lenda, King Kamali! Este vídeo por sinal é bem simbólico e quase que uma homenagem ao cão que se foi no último dia 19 deste mês. 
O vídeo abaixo mostra um pouco mais dessa lenda que tinha excelentes medidas, pesava aproximadamente 40kg e media pouco mais de 45cm de cernelha. Mas o o que mais chamava atenção do seu dono (Carlton Pratt) era a circunferência do seu pescoço, eram 57cm de puro músculo. Com tudo King Kamali era um cão super correto, da dentição a suas angulações e foram essas qualidades que o levou a se sagrar Campeão da Nationals em 2008.
Confira o vídeo e até o próximo post!

domingo, 23 de novembro de 2014

Só mais uma discussão de grupo... Segue o jogo!

Boa tarde família! Apesar de ter sido uma semana muito corrida não poderíamos deixar de publicar nosso post dominical. 
Sweet N Low Best of Breed.
No último dia 15 aconteceu em Atlanta a Nationals 2014 evento da ABKC que reúne os melhores American Bullies dos EUA. A Nationals para a raça American Bully é como se fosse a final do Super Bowl para o futebol americano ou para nós como a final do campeonato brasileiro. Enfim, quando o assunto é American Bully nenhuma outra competição mobiliza tantos criadores e amantes pela raça como a Nationals. Sendo assim o cão que se consagra campeão como o melhor da raça (Best of Breed) fica super valorizado e acaba sendo alvo de grande procura por coberturas contratadas e seus filhotes, mas dessa vez a ABKC surpreendeu a todos e deu o título de "melhor American Bully" a Sweet N Low uma fêmea de quase dois anos que não possui nenhum grande ícone da raça nas suas duas gerações anteriores. 
Com esse resultado ao que tudo indica é que a ABKC está direcionando seu padrão para cães mais harmoniosos e corretos vistos os últimos campeões. No entanto na segunda-feira pouco mais de 24 horas depois do resultado começaram a surgir em grupos do Facebook uma foto que destacava o cão chamado Ruger como o Gr Ch Nationals 2014. Logo os participantes dos grupos começaram a indagar a qualidade do dito campeão, o grupo "American Bully - Conhecendo A Raça No Brasil" ganhou maior destaque na discussão que de uma forma geral todos concordaram que ele não era o melhor exemplar para representar a raça.
A polêmica foto de Ruger. 
Alguns foram além e nomearam quem seriam os cães que melhor representariam a raça e o nome do Ch Magoo como exemplar ideal foi mencionado como dentre os melhores. Pois bem, estava eu na sexta feira navegando pelo Facebook quando uma foto em um grupo gringo me chamou atenção, era uma montagem onde estavam lado a lado Ruger e Magoo e uma pergunta indagando quem seria o exemplar que melhor representava a raça. Quase não acreditei, pois era o prato cheio para um post, acompanhei grande parte das opiniões até que o assunto do post fosse desvirtuado (como sempre é, seja aqui ou lá). E o resultado foi totalmente surpreende aos nossos olhos. Aqui no Brasil os membros do grupo citado nomeavam "qualquer cão" como um representante melhor que o Ruger para a raça e o Magoo foi um dos citados, porém no grupo "D-LINE PUBLIC PAGE" a história foi diferente e Ruger ganhou de goleada a cada 10 comentários somente 1 escolhia Magoo como melhor representante para a raça. Pude acompanhar mais de 70 comentários até o assunto se perder e depois de tanta procura acho que o post foi removido, pois o Bashar proprietário do Magoo entrou na discussão e as pessoas assim como aqui já não estavam respeitando umas as outras. 
Então, aonde eu quero chegar com esse post meio confuso que começou falando da Nationals 2014 e terminou com brigas de grupos do Facebook? Em primeiro lugar Ruger não ganhou nenhum título importante neste último evento do dia 15 de novembro basta ver o resultado do evento, em segundo que para mim ficou uma percepção de quão estamos distantes dos americanos, importamos cães na maioria das vezes sem saber o que estamos fazendo e compramos ideias pré-conceituosas de grupos que têm seus próprios interesses, e em terceiro lugar que isso não significa que Ruger é melhor que o Magoo, mas o resultado real da Nationals 2014 que sagrou Sweet N Low  como Best of Breed mostra que a ABKC pretende dar um direcionamento mais correto e menos extremo a raça, inclusive alguns membros desse grupo gringo informavam que em 2015 não teremos mais a categoria Extreme nas competições da ABKC. Particularmente não acredito nestas informações e penso ser só mais uma picuinha de grupo. 
Bom galera desculpa essas voltas e voltas em nosso texto de hoje, espero que tenha sido esclarecedor de alguma forma para vocês e temos uma novidade! Na próxima quarta feira colocaremos um vídeo para a galera que tem pedido para que colocássemos vídeos dos cães que mencionamos aqui. Então próxima quarta teremos um pequeno vídeo apresentando algum cão ou criador. Forte abraço e até lá!

domingo, 16 de novembro de 2014

Entrevista com Robert Lee!

Bom dia Família! Com o propósito de sempre agregar valor aos leitores conseguimos finalizar mais uma entrevista com um grande criador do Mundo Bully. Muita gente não o conhece, mas com certeza se você tem um perfil no Facebook já deve ter curtido sua página. Dono de uma estrutura incrível, detentor de vários títulos e com uma quantidade de "amigos" de dar inveja ao Roberto Carlos (até a publicação desse post eram exatamente 1.020.895 curtidas na página), Robert Lee é o cara por traz do Gr Ch Beastro.
Em um papo direto e reto Robert revelou em poucas palavras algumas curiosidades e direcionamentos para onde "The Bully Market" vai. 
Então vamos nessa!
Robert Lee e Beastro.
Toro de Calle: Com quantos anos você começou a criar?

Robert Lee: Eu comecei com 23 anos. Hoje Robert tem 29 anos.

Toro de Calle: Qual foi seu momento mais difícil na criação?

Robert Lee: Em 2011 nenhuma das nossas cadelas engravidaram, com exceçaõ de uma, que acabou matando seus filhotes. Nós estávamos cuidando de mais de 20 cães naquele ano. Sem nenhum filhote por um ano inteiro e tendo a única ninhada morta, foi um período difícil como criador.

Toro de Calle: Recentemente alguns cães descendentes do Beastro chegaram ao Brasil, como você vê esse possível mercado?

Robert Lee: Beastro tem sido um dos cães mais procurados em todo o mundo por anos e o American Bully é uma raça em crescimento que está prosperando. Ele é um dos mais bem sucedidos cães da raça, então vejo a demanda aumentar.

Toro de Calle: Hoje a página do The Bully Market é sucesso no Facebook, acredita que o sucesso do Beastro se deve a página ou o sucesso da página se deve ao Beastro?

Robert Lee: Nenhum dos dois. O sucesso do Beatro é devido ao excelente tipo e estrutura da raça, justamente a sua bem estruturada campanha. A página do Facebook é sucesso por muitas razões: Bons cães, várias pesquisas, consistência, fotos de qualidade para demonstrar os cães. 

Toro de Calle: Dos cães que vieram para o Brasil qual apostaria como grande padreador ou matriz em potencial? 

Robert Lee: Todos os cães que enviamos para o Brasil são bons. Só o tempo dirá quem será o melhor para os seus respectivos programas de criação. 

Toro de Calle: Qual foi o melhor cruzamento crossbreeding que Beastro realizou e qual foi o resultado?


Thee Buss filho do cruzamento entra Beastro e Widget.
Robert Lee: O melhor cruzamento na minha opinião criou o Thee Buss. Beastro com Shorbus Widget, que é uma fêmea 5 vezes Xzibit.

Toro de Calle: Hoje você conta com quantos cães em seu plantel?


Robert Lee: Atualmente nós temos 16 cães, sendo 6 machos e 10 fêmeas.


Toro de Calle: Hoje vemos cães que não são filhos de campeões custarem 10 mil dólares e grande parte dos filhotes do Beastro custam 5 mil, eu acredito que os títulos deveriam ponderar os valores dos filhotes, vê isso como algo normal?


Robert Lee: Nossos preços iniciam em 3 mil dólares e aumentam a partir daí. Algumas vezes temos cães que nós não queremos vender e já foram oferecidos valores entre 20 e 30 mil dólares, mas optamos pela construção do nosso próprio programa.



Grandy, exemplar da linha Gaff.
Toro de Calle: Qual cão fora da sua linha de sangue te enche os olhos? Você pretende utiliza-lo um dia?

Robert Lee: Nós vamos incorporar o sangue Gaff e outro Amstaff em nosso programa para fortificar ainda mais a estrutura e manter o padrão show. 


Toro de Calle: Vendo tudo o que é feito no The Bully Market temos a impressão de que sua equipe trabalha em função disso. Hoje você pode afirmar que trabalha para o canil? 


Robert Lee: Dirigir um canil é uma responsabilidade em tempo integral que exige dedicação e contribuição de todos.


Toro de Calle: Pelo que podemos observar ao longo da história do canil o Homie foi superado pelo Lock N Load que por sua vez foi superado pelo Beastro, em se tratar de títulos e visibilidade acredita que algum filho do Beastro irá supera-lo em um futuro próximo? 


Robert Lee: Tem alguns filhos do Beatro que são realmente muito bons, mas meus favoritos são Golden Boy e Thee Buss. Ambos têm potencial para serem um sucesso nas exposições e nas produções. 


Toro de Calle: Voê conhece alguma coisa da comunidade Bully no Brasil, conhece alguns cães?


Robert Lee: Não, eu não conheço a comunidade nem os cães, mas estou ansioso para aprender mais e visitar o Brasil em breve.


Toro de Calle: Deixe uma mensagem para a comunidade Bully do Brasil. 


Robert Lee: Agradeço pela entrevista. Estou ansioso para visitar o belo Brasil em 2015!


Como disse o cara é de poucas palavras, mas com certeza de muitos objetivos. Robert não participou da Nationals 2014 e o comentário que se via é de que algo novo virá por aí. Espero que tenham gostado e servido de informação, até a próxima!

domingo, 2 de novembro de 2014

Está tudo indo bem...

Boa tarde Família! Depois de dois domingos de ausência estamos de volta. O motivo da falta de post é o trabalho que estamos tendo com novos filhotes nascendo no canil e a busca por material exclusivo para vocês leitores. 
Falando em novidade, temos percebido que há um movimento novo rolando no Brasil. Existe uma onda de organizações de encontros e eventos e acreditem, o surgimento de uma revista, sim isso mesmo em algumas semanas teremos a primeira revista especializada em American Bully no Brasil.
Isso é uma evolução tão grande quanto a evolução no plantel nacional ocorrida nos últimos dois anos, pois é através desse staff que irá nos impulsionar a estar buscando sempre um aprimoramento e quem sabe esses encontros não irão amenizar ou até mesmo acabar com algumas rusgas que existem entre criadores. 
Banner dos encontros de SP e PE.
No último dia 18 ocorreu em São Paulo o que classificaríamos como o primeiro grande encontro da raça, por que reuniu grandes criadores e grandes cães de diversas partes do Brasil. Infelizmente por compromissos pessoais e profissionais não pudemos comparecer, mas teria sido um grande prazer. Ainda nessa linha de encontros também será realizado em Recife outro grande evento que promete reunir vários outros grandes cães. O evento que irá ocorrer no próximo dia 16 terá palestras sobre
nutrição e história da raça, a exposição dos cães será o ponto alto do dia. Por si só isso já seria de grande importância para a raça, mas o surgimento de uma revista nacional e especializada em nossa opinião é o que pode mudar as coisas aqui no Brasil. The Bully Game promete dar visibilidade e apoio aos criadores nacionais, matérias, entrevistas e anuncio é o que já podemos esperar, mas é o que vem com o resultado disso que pode mudar o "Game" aqui no Brasil. Imaginamos que a visibilidade que a revista pode proporcionar irá incentivar a mais encontros, novos consumidores, novos criadores, surgimento de novas linhas de sangue, espaço para novos cães e quem sabe até o surgimento de algumas competições. 
Concluindo, acreditamos que o surgimento destes movimentos é uma resposta ao buraco que a ABKC deixou em nosso país. Não tivemos um evento se quer da ABKC, a maior revista da raça que tem uma edição em espanhol ainda não há nenhuma intenção de edições em português sem contar a falta de conhecimento que a própria ABKC tem sobre o plantel e movimento Bully nacional. Vendo a dimensão e a velocidade com que as coisas estão acontecendo acredito que seremos o segundo maior mercado Bully no mundo em pouco tempo. 
É só esperar e ver os resultados.

domingo, 5 de outubro de 2014

Criação política.

Fala Família, beleza? Hoje é dia de eleição e pensando nisso vi o quanto a política tem a ver com a cinofilia, principalmente em se tratar de American Bully. Achou estranho? Mas fique tranquilo você vai entender.
Como é o nosso cenário político? Hoje podemos dizer que há partidos de esquerda e partidos de direita e alguns partidos que parecem não pertencer a nenhum dos lados, com seus próprios ideais e metodologias. Este último por sinal dificilmente chega ao poder. No cenário AB nacional também é muito parecido, vimos durante algum tempo determinados criadores governando o cenário e principalmente neste ano vimos os “criadores de esquerda” começando a governar e ganhar muito espaço no cenário. Também existe no cenário político as coligações que na criação seriam claramente as “panelas”. Sim, elas estão por aí e por diversos motivos. Há panelas que defendem ideais, há panelas que existem por questão geográficas, existem aquelas que possuem interesse em cobertura de um padreador ou até mesmo aquela mais comum, curte aqui que eu curto lá. Pode ser o cachorro mais torto do mundo, mas independente disso a “coligação” sempre tem um elogio “sincero” para fazer. E os eleitores quem seriam esses? Os eleitores seriam os clientes que estão buscando um cão para a Pet ou até mesmo que estão querendo começar a criar.
A maior diferença é que nossa campanha eleitoral, nossos debates, a boca de urna, nosso material de campanha e tudo que gira em torno da “criação” é feito diariamente, sem contar que grande parte (e não é a maioria) tem ou teve que trabalhar muito para alcançar seus objetivos e vale reforçar que diferente da política onde a margem de pessoas bem intencionadas é menor na criação tem muita gente do bem, mas que muito por culpa do ego permanece nesse embate diário.
Pergunte aos candidatos se eles aguentariam essa loucura durante o ano todo? Tenho certeza de que não, por que para desejar ser criador você tem que ser um apaixonado pelo que faz e para permanecer criador, você tem que ser forte.

Boa sorte nesse domingo de eleição, bom voto, muita paixão e força. Abraço! 

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Entrevista com Dave Wilson!

Bom dia família Toro de Calle! No último domingo deveríamos ter postado a entrevista que fizemos com Dave Wilson, mas por motivos de força maior não pudemos fazer o post. Logo logo vocês saberão qual foi o motivo, mas continuando a falar sobre a entrevista ela foi planejada para ser realizada pessoalmente com o Dave durante o show ABKC que aconteceria aqui no Brasil, mas como não foi possível resolvemos não deixar a ideia de lado, mudamos algumas perguntas e focamos mais no criador Dave Wilson e abordamos algumas curiosidades. É claro que alguns assuntos sobre ABKC não poderiam passar em branco. 
Então chega de lenga lenga e vamos a ela!
Dave Wilson fundador da ABKC e Razor Edge.
Toro de Calle: A Razor Edge mandou no cenário Bully durante muito tempo e agora vemos a ascenção de outras linhas. Como criador, como vê essa "evolução" dos American Bully? 

Dave Wilson: Razors Edge foi a primeira a chamar os cães de American Bully, nós criamos esse nome e optamos por usá-lo para nossa linha. Nós sentimos que havia bastante mudança na linha em diferentes direções, o que mostrava que o mundo havia escolhido um novo nome para representar o estilo. Nós escolhemos o nome por respeito à raça original; uma vez que fizemos isso, então, criamos um registro para validar estes cães. Depois disso, Gottiline também decidiu por usar o mesmo nome e o levou para o ABKC. Assim, os American Bullys originais eram apenas da Razors Edge ou linhagens Gotti. Conforme o tempo foi passando essas linhas foram misturadas e muitos nomes novos foram surgindo. Refiro-me a eles mais do que como nomes, mas como linhagens. Todos os American Bullies voltaram a Razors Edge ou Gotti, então tudo que você vê na raça ou é produzido em uma dessas linhas ou uma mistura deles. Você não pode criar uma única linha indefinida ou terá muitos problemas, por isso é inevitável que o cruzamento aconteça. Tem que ser assim para manter a raça limpa, então eu não vejo a Razor Edge como tendo saído de cena. Eu vejo como a raça evoluiu de suas linhagens originais em uma mistura de ambas. A linha não acabou, ela só evoluiu.

Toro de Calle: Certa vez li que a Razor Edge era uma linha de sangue para criadores experientes, porque escolher um bom filhote era muito complicado,  pois são tidos como cães tardios, você concorda com essa afirmação? Se sim credita a esse motivo o grande número de criadores aderindo as linhas mais precoces?

Dave Wilson:O problema com esta questão são os termos "experiente e criadores", que são usados de forma muito ampla. Muito do que se vê hoje são pessoas novas na criação, pessoas que não tem uma história ou tempo de experiência na criação. Para mim é muito fácil de determinar como um filhote será quando adulto na minha linha. Eu sei que meus cachorros, na idade de 6 a 8 semanas, estarão muito parecidos com a forma adulta. Após 8 semanas eles passam por muitas mudanças e não costumam voltar a sua estrutura anterior. Hoje em dia, muitas pessoas querem gratificação instantânea, ou seja, elas querem tudo e querem agora. O problema com isto é que estes cães que amadurecem rapidamente, mas também se deterioram rapidamente. Para ter cães bons e saudáveis que você tem que ter paciência, entender as linhas, saber o que procurar e estar disposto a esperar. Assim, pessoas que esperam resultados rápidos acabam criando cachorros que amadurecem rápido, mas que no futuro tem muitos problemas e pouca durabilidade.

Toro de Calle: Em um momento em que um muitos começam a adquirir cães para criar, na sua opinião qual é a diferença entre criadror e proprietário?

Dave Wilson: Eu vejo poucos criadores de verdade. A maioria deles são canis buscando fama e dinheiro. Um verdadeiro criador não busca por isso, ele precisa ser um criador cada vez melhor, deve aprender mais sobre os cães, estabelecer planos, objetivos, propósitos e dedicar seu tempo a criação.

Toro de Calle: Qual foi o seu momento mais difícil na criação?

Dave Wilson: No meu tempo era diferente, os Bully’s não existiam realmente e não havia uma linha que tivesse todos os traços que eu queria para os meus cães. A maior parte dos criadores que produziam cães com o estilo que eu queria não os vendiam, não era algo que eles produzissem constantemente, então era muito difícil encontrar um criador, ou linhagem com todos os traços pelos quais eu procurava. Para mim, isto foi uma jornada, juntando diferentes partes para encontrar o cão final. Esta não foi uma tarefa fácil, juntar partes significa usar linhas bastante diferente, aprender como isolar traços, como incorporar estes traços aos meus cães existentes e como manter e reproduzi-los de forma consistente. Este trabalho foi uma série de tentativas e erros antes do sucesso. Atualmente, estes cães existem e os traços estão todos aqui, então é muito fácil fazer com que estes cães reproduzam os traços desejados; mas quando você começa do zero, é preciso muito trabalho e muitos anos para trazer os traços a tona, remover os resultados indesejáveis e seguir adiante.

Lil Cairo um dos principais cães quando o assunto é RE.
Toro de Calle: Lil Cairo foi o melhor cão que você produziu?

Dave Wilson: Lil Ro não foi meu melhor cão. Mas foi um novo estilo que se tornou muito popular. Ele foi o cão que desencadeou a era do Pocket Bully, antes de Lil Ro a maior parte dos criadores estava produzindo cachorros grandes e Lil Ro era o único pequeno. Embora neste tempo ele estivesse na altura desejável para a classe Pocket do ABCK, ele foi considerado pequeno. Eu tinha certeza que se usasse certas distensões em minha criação, os cães se tornariam menores e mais compactos. Eu tentei não pegar muito pesado com essas distensões porque não queria cães pequenos demais para o meu gosto. Lil Ro foi um cão único naquele tempo: ele era mais compacto e baixo que a maioria dos cães ao redor e continuou mantendo a cabeças e os ossos do tamanho dos cães grandes. Ro fez coisas que nenhum outro cão fez para o mundo Bully, ele deu a mim o interesse na criação. Nós fizemos muitas promoções com ele fora do mundo Bully daquele tempo: nós o levávamos a exposições de carros, convenções de tatuadores, shows de rap e até mesmo em boates: cruzamos tantos novos níveis com Lil Ro que isso promoveu e impulsionou esta raça a novos públicos e novos níveis. Lil Ro tinha algo diferente, que atraía as pessoas, então eu não posso dizer que ele foi a minha melhor produção, mas eu direi que ele foi único para seu tempo e um cão muito especial.

Toro de Calle: Hoje tem algum cão com idade menor que 18 meses que você aponte como o futuro da Razor Edge? 

Dave Wilson: Atualmente a Razor Edge é apenas eu e minha família, infelizmente mesmo com todas as coisas que fizemos para o mundo Bully no passado, eu não tenho mais tempo para focar no meu canil. Tenho alguns cães incríveis e outros que ninguém viu ainda, mas irei lança-los no momento certo.


Toro de Calle: Existe algum comentário entre os criadores nos EUA sobre algum criador ou cão que está aqui no Brasil?


Dave Wilson: Eu ainda não estou tão familiarizado com os criadores do Brasil, a ABCK tem um escritório que trabalha com muitos deles e existem pessoas no Brasil que os ajudam com as certificações, eles possuem mais conhecimento do que eu. O que eu vejo é que no Brasil existe muito apreço e amor pela criação. Eu espero poder visitar o Brasil em breve e ter a oportunidade de conhecer os criadores e grandes apoiadores da raça lá.

Toro de Calle: Já vendeu alum cão que gostaria de ter aproveitado no seu programa? 

Dave Wilson: Eu vendi muitos cães ao longo dos anos e alguns deles eu poderia ter usado no meu programa. Voltando aos anos 80, quando eu estava comprando cães, era muito difícil encontrar um criador que vendesse cães de alta qualidade. Então, eu prometi que quando eu tivesse a minha linha, eu ofereceria sempre os meus melhores cães para venda. Eu acredito que isso é, em parte, a razão pela qual a Razor Edge e os Americam Bully cresceram tão rápido.

Toro de Calle: Qual cão que não tenha nenhum parentesco com sua linha de sangue te enche os olhos? Teria possibilidade de acrescenta-lo a Razor Edge? 

Dave Wilson: Eu já fiz isso; no meu quintal eu tenho duas linhagens de cães. Eu tenho cães Razors Edge puros para continuar a minha linhagem, e também tenho uma mistura de linhagens que existem nesta raça para mostrar o que eu sinto que é a representação final do American Bully. Então fique atento, em breve vou mostrar às pessoas os segredos nos quais eu tenho trabalhado.

Toro de Calle: Quando disse que o entrevistaria algumas pessoas me cobraram algumas perguntas com relação a ABKC. E recentemente tivemos o cancelamento do Bully Show que aconteceria no Brasil, acredita que esse fato pode ter fechado as portas para outros eventos?

Dave Wilson: De maneira nenhuma, a razão do cancelamento foi a confusão com a comunicação e o planejamento, desde então temos tido mais interesse em um evento deste tipo e existem pessoas trabalhando nisto neste momento. Em breve teremos muitos eventos ABKC no Brasil e eu estou muito animado para isso.

Toro de Calle: Há uma grande dificuldade de se formar árbitros da ABKC fora dos EUA e sendo assim a realização de shows se torna algo muito custoso justamente por conta da importação dos julgadores. Não vê isso como algo ruim para a internacionalização do registro? 

Dave Wilson: Este é o ponto em que o ABKC é muito diferente em relação aos demais registros; nós levamos os nossos juízes muito a sério. Fazemos treinamento intensivo com os nossos juízes, bem como programas de aprendizagem. Nosso objetivo é fazer com que tenhamos juízes e representantes em vários países ao redor do mundo, mas nós, como ABKC temos que garantir que esses juízes são bem treinados e muito bem informados sobre as raças e os padrões. Então para os eventos iniciais é necessário utilizar os juízes existentes, é de grande ajuda ter um juiz experiente nestes eventos para ajudar no treinamento. Com o tempo, haverá mais juízes locais treinados, mas sim no início é necessário um pouco mais de tempo e treinamento.

Toro de Calle: Sendo dois grandes criadores e personalidades que fizeram muito pela comunidade Bully como foi a saída do Marco Suarez da ABKC? Ficou alguma mágoa?

Dave Wilson: Há ótimas pessoas que fizeram um grande trabalho na comunidade, não foi uma única pessoa que fez isso, isso foi feito por uma comunidade. Eu não vejo qualquer pessoa como sendo mais influente ou importante, então, é o seguinte, foram os integrantes da comunidade trabalhando juntos que o criaram e o tornaram o que é hoje. Na medida em que a perda de um membro da nossa comunidade e organização, que é como eu vejo isto, às vezes as pessoas estão olhando para as recompensas financeiras e quando as ofertas acontecem algumas pessoas tendem a ir nessas direções, é a vida. Eu nunca quero perder ninguém de nossa comunidade, mas para mim eu sei que a ABKC foi a organização que criou esta raça. A ABKC nos deu uma casa quando nós não tínhamos. A ABKC criou os critérios de raça, os padrões da raça, e deu à raça a sua validade. Sem a ABKC não haveria American Bully. Para mim a lealdade é mais importante do que qualquer fator financeiro. Eu permaneço fiel ao que nos criou, essa é a minha opinião.

Toro de Calle: Nos próximos anos podemos esperar um Dave Wilson mais empenhado na criação e pronto para voltar a dominar o jogo?

Dave Wilson: Eu dediquei minha vida a isso, para mim, isso não é um negócio, é uma obrigação que devo a uma raça e à comunidade. Eu não procuro o domínio, não procuro o controle, meu propósito é servir. Eu trabalho para esta raça e para todos os que a apoiam. Eu não estou aqui para ser a sua concorrência, nem estou aqui para ser o líder. Estou aqui para fazer a minha parte, que é servir a comunidade e trabalhar para ajudar a proteger e preservar esta raça. Estou sempre ocupado, eu posso não estar em todos os fóruns, posso não estar em todos os eventos, mas com certeza eu nunca paro de trabalhar em prol desta raça. É aí que Dave Wilson sempre fez e sempre fará, como eu disse, para mim isso é uma obrigação. Sou leal a esta raça e àqueles que a apoiam.

Toro de Calle: Deixe uma mensagem para a comunidade Bully no Brasil.

Dave Wilson: O que eu tenho a dizer para a Comunidade Bully no Brasil, em primeiro lugar, desfrute desta raça. Esta tem sido uma raça que tem mantido as pessoas unidas; ajudou-nos a atravessar muitas barreiras na vida. Esta raça tem unido pessoas de todas as raças, todas as religiões, todas as regiões; manteve-nos unidos como uma família com um interesse comum e títulos. A beleza desta raça tem sido a diversidade de seus defensores, e a camaradagem que todos nós compartilhamos. Não cometa os erros de olhar para a pessoa ao seu lado como seu concorrente, ou pior, seu inimigo. Sem todos trabalhando juntos isso nunca teria acontecido, lembre-se sempre , somos uma família .
Esta raça é uma raça que sua única finalidade é agradar seus donos, são as maiores características dos donos da raça. Lembre-se sempre que nós representamos a raça e devemos o positivismo a esta raça e que devemos fazer a nossa parte para ajudar a promover esta raça de uma forma positiva.
A ABKC é o registro original que criou esta raça e deu a todos nós uma casa; por favor, dê a ABKC a oportunidade de trabalhar com e para você. O Brasil é um país bonito, com pessoas incríveis e alguns Bullys muita bons, a ABKC está ansioso para trabalhar com o Brasil para o futuro desta raça, e agradecemos a todos pelo apoio.
Quero agradecer pessoalmente pela oportunidade de fazer esta entrevista e agradecer àqueles que gastam seu tempo para ler isto. Para mim foi uma grande honra trabalhar para a raça e servir esta comunidade. Estou ansioso para chegar ao Brasil no futuro e conhecer a todos. Muito respeito a todos...

Bom galera essa foi a entrevista que realizamos com o Dave. Esperamos que tenham gostado e que tenha servido de informação, aprendizado e incentivo. Até a próxima!

domingo, 14 de setembro de 2014

Passa rápido...

Galera o post de hoje será bem curto! Há algum tempo estamos tentando trazer algumas novidades para o blog e hoje quando fui publicar o post dominical percebi que em algumas semanas nós iremos fazer um ano de Toro de Calle Off. 
O blog foi criado para aproximar as pessoas que curtem o nosso trabalho da nossa realidade e do nosso dia a dia. Ao londo desses meses muitas opiniões, apresentações e post informativos foram postados aqui todos os domingos. Pedimos desculpas por algumas ausências, mas é que nossos filhos de 4 patas dão o maior trabalho e muitas das vezes não sobra tempo para trazer algo novo ou até mesmo perdemos o horário de fazer a postagem. 
Ultimamente venho percebendo que diversos criadores têm criado seu canais de comunicação para passar suas experiências e isso nos deixa muito feliz. Esse contato é muito importante. Quando começamos o nosso maior contato com o mundo dos American Bullies era um blog chamado Bullinesco. O blog ainda é atualizado e até hoje nós acompanhamos suas postagens. Entendemos que tão importante quanto a evolução do plantel nacional é a evolução dos criadores que fazem uso dos cães. E nada mais importante que a troca de informações e experiência entre nós. 
Para celebrar esse 1 ano de blog nós iremos publicar na próxima semana uma entrevista exclusiva que fizemos com Dave Wilson. Nela falamos sobre sua experiencia na criação, Razor Edge e ABKC. As novidades não irão parar por aí logo traremos mais novidades e prometemos um blog repaginado, com mais informação e muita opinião. Mais uma vez agradecemos todas as mensagens de apoio e incentivo que recebemos em nossa página. Iremos seguir trabalhando para que o trabalho seja eternizado por conta das nossas histórias. 

domingo, 7 de setembro de 2014

E a queda de braço continua...

Fala família, boa tarde! Em primeiro lugar quero pedir desculpas pela ausência de posts nos dois últimos finais de semana, mas o motivo é bem relevante, pois os filhotes estão dando muito trabalho! Em segundo lugar estamos empenhados em trazer novidades para os leitores do blog e logo divulgaremos algumas novidades.
Bom, mas parando de rodeios vamos ao tema de hoje. Há algum tempo, mais precisamente depois do cancelamento do show da ABKC que aconteceria em Blumenau-SC, tenho me dedicado a observar essa situação como algo sintomático e ir além do simples cancelamento de um evento. 
Para começar o evento teve pouca, alias nenhuma adesão dos criadores do nosso país. Esse fato por si só já apontaria a falta de importância que o registro ABKC vem tendo com o passar dos anos. Porém também existe o fato que sempre menciono aqui. Será que grandes criadores gostariam de colocar seus cães renomados ao lado de cães menos badalados dispostos a perder em um show? Como já falamos bastante sobre isso não iremos novamente nos aprofundar.
Mr. Miagi divide opiniões em todo o mundo.
Mas o fato novo ao menos para mim é como o Mr. Miagi tem ganhado força. Ao que parece, Miagi seria o próximo passo da raça depois de Dax. Confesso que se a raça estiver caminhando para este fenótipo esse fato me deixa preocupado, mas também confesso que existem muitos cães descendentes diretos realizando bons trabalhos, produzindo cães bem próximos de fenótipos que seriam facilmente aceitos pela ABKC. E voltando a ela, a recente saída de Marco Suarez serviu para enfraquecê-la ainda mais e com o grande número de criadores aderindo cada vez mais o sangue Miagi, creio que o Miagi Blood esteja mais próximo de ganhar essa queda de braço, pois está em ascendência. Só resta saber se a ABKC irá voltar atrás e permitir a emissão de pedigrees de cães descendentes do Miagi ou se manterá o discurso de NÃO ACEITAMOS ESSES CÃES AQUI!
Visto o cenário, acreditamos que o discurso da ABKC soa meio hipócrita aos nossos ouvidos, pois existem cães com o fenótipo bem diferente do padrão aprovado pela entidade que são registrados e formam linhas de sangue fixando essas características. Muitos afirmam que há uma rusga pessoal entre as partes envolvidas ABKC x Miagi e que isso é o que dificulta a entrada dessa linha de sangue na entidade. 
Aceitar Miagi é decretar fim a história de que os American Bullies surgiram dos AST e APBT e assumir a inserção de outras raças o que em nosso ponto de vista essa é uma história que cada vez mais perde força ao passo que vemos alguns cães frutos de repetidos cruzamentos fechados principalmente de origem gottiline que trazem a tona dentre outros pontos indesejados muitas rugas e fuço muito curto, características marcantes de outras raças. Só nos resta saber se as entidades que registram Miagi Blood serão tão efetivas com relação a shows e eventos em prol da raça ou se será apenas um registro com a intenção de lucrar em cima de uma "falha" da ABKC. Melhor seria se as entidades chegassem a um acordo e definissem de forma bem clara o que pode e o que não pode.

domingo, 17 de agosto de 2014

Quem é de verdade sabe quem é de mentira!

Fala aí família, boa tarde! Há um tempo um amigo nosso nos sugeriu que fizéssemos um post dando nossa opinião sobre um outro post publicado em um grupo especializado sobre American Bully que fazia a seguinte pergunta aos membros do grupo: O que faz de você um criador?
Bom, então vamos ao tema. Segundo o dicionário criador é aquele quem cria algo ou quem se ocupa de criação. No nosso caso, a palavra criador carrega mais atributos que não estão descritos no dicionário. 
Em nossa opinião ser criador é seguir o seu caminho, criar cães vai além de manter e reproduzir um macho com uma fêmea. Criar cães é trabalhar os resultados de forma que o cão produzido seja melhor ao menos que um dos seus pais e que por isso deverá substitui-lo. Criar cães é um processo evolutivo dentro do seu plantel. É trabalhar com o que tem e continuar trabalhando com os resultados. Não tem muito haver com quantidade de cães, digo muito,pois é necessário que se tenha um número de cães para que seu trabalho seja de maior impacto. Não acredito em criador com um cão só ou um casal. Outro ponto importante é o grande número de importações ou até mesmo aquisições no plantel nacional. O "criador" importa um casal de cães, cruza, tira a ninhada vende todos os filhotes e com a grana arrecadada compra outros cães, cruza novamente, tira a ninhada e vende os cães novamente, comprando outros que não tem nenhuma relação de sangue com o seu sangue produzido. Muitas das vezes suas produções vão sendo trabalhadas por canis de menor expressão e a grande massa bate palma para o seu grande feito de importar cães e vender suas crias. Esses são reprodutores, que podem ser ótimos no que fazem, mas apenas reproduzem, pois não trabalham o que produziram, é apenas negócio, não há intenção de se fazer um cão melhor do que se tinha inicialmente. Ou uma outra hipótese é o medo de não ter um cão de referencia e por consequência não conseguir vender seus filhotes e com isso a evolução do plantel fica em segundo plano. Hoje existem vários "criadores" de American Bully pelo Brasil. Nunca foi tão legal ser criador, mas dificilmente vejo criadores anunciando ninhadas com ao menos um dos cães do seu plantel. Não tem, é difícil. Logicamente existe um tempo para começar a fazer isso, mas existem "criadores" que estão produzindo cães a muito tempo e não possuem sequer uma homogeneidade em relação ao tamanho do cão. Ou seja o camarada além de não trabalhar o que ele produziu ele ainda não seleciona cães obedecendo nenhum critério. Então depois que ele realiza a cruza, você vira e pergunta: Esse filhote vai ficar de que tamanho? E é nessa hora que o camarada fica louco no pensamento, pois ele não faz ideia, mesmo depois de anos de canil ele ainda sim não faz ideia. 
Então criador em nosso ponto de vista tem que trabalhar o que produz. E olha que nem mencionei os fatos do cotidiano que exigem uma dedicação monstra da nossa parte e que tem muitos que não fazem. Sei de "criador" que deixa a cadela sozinha em trabalho de parto e vai para a balada. Quando volta tem metade da ninhada morta. Agora na boa, isso é ser criador? 
Criar vai muito além do que vemos pela internet. Criar requer muita dedicação e muito trabalho em cima do que você produz. Isso diferencia o criador dos modinhas. 
Galera, essa é apenas nossa opinião e somos humildes o suficiente para saber que só estamos no começo e que ainda há uma longa estrada para percorrermos, mas mesmo com pouco tempo já vamos começar a trabalhar nossos resultados de formar que tenhamos hoje algo melhor que ontem e com relação a crítica é que não precisa de tempo para perceber quem é de verdade e quem é de mentira. Um ótimo domingo a todos!

domingo, 10 de agosto de 2014

Em nome do Pai!

E aí família, beleza? Hoje é dia dos Pais e assim como fizemos nos dias das Mães não poderíamos deixar de homenagear os pais do Toro de Calle. Antes de qualquer coisa vocês já repararam como as produções giram em torno dos machos? Geralmente vemos filhote 3X Dax, 2X Pokemon e assim por diante. Dificilmente vemos uma ninhada ou filhote sendo anunciado informando que no seu pedigree possui 2X Nyla ou 3X Barbee. Isso não é comum, o comum é exaltar o pai da ninhada, mesmo que em algumas vezes a fêmea tenha contribuído mais para o fenótipo dos filhotes é o macho que ganha os créditos. 
Há uma explicação para isso, o fato é que um macho cobre diversas fêmeas ao longo do ano e geralmente a fêmea só produz uma vez ao ano, podendo variar para mais o seu ciclo reprodutivo. Sendo assim marketizar a produção do macho é mais interessante, pois ainda há a possibilidade que sejam vendidas coberturas contratadas do cão em questão. 
Aqui no canil tivemos basicamente 3 machos de grande importância. O primeiro foi o Logan que praticamente inaugurou o canil e se existimos hoje o mérito se deve totalmente a este padreador, Logan chama atenção por onde passa e até hoje causa reações diversas nas pessoas. Com um ótimo temperamento, Logan produziu até agora no canil duas ninhadas e por possuir linhas mais exageradas e ser um cão muito pesado está momentaneamente sem produzir, mas estamos acompanhando alguns de seus filhos ou até mesmo uma cadela específica para que ele continue com seu legado. 
O segundo padreador do canil foi o Mimo que realizou também duas coberturas originando duas grandes ninhadas. O objetivo com a vinda do Mimo ao canil era justamente dar um outro padrão aos nossos cães tornando eles mais baixos e curtos, outro grande objetivo nosso era a inserção da coloração tricolor em nosso plantel algo que não aconteceu de imediato, mas que temos certeza que seus descendentes irão produzir o que esperamos. 
O terceiro grande padreador do canil é o Pokemon Jr que já chegou produzindo duas ninhadas e que tem tudo para produzir mais algumas. Dog blue nose que vem com o objetivo de padronizar a produção no quesito tamanho e massificar a produção de cães blue nose. 
Como falamos, na criação é assim mesmo o pai da ninhada é quem carrega a responsabilidade dos filhotes, mesmo a fêmea tendo contribuído de forma significativa. Talvez vocês nunca escutaram falar de Nyla e Barbee, mas bem provavelmente já ouviram e irão se recordar de Remy Martin e Romeo estes são respectivamente os pais do Pokemon e Dax.
Bom ficamos por aqui, grande abraço e feliz dia dos Pais!

domingo, 3 de agosto de 2014

Depois de muito trabalho, mais filhotes!

Banner da cruza realizada entre Pokemon Jr xXx Diva.
Fala galera boa tarde! Hoje nosso post será para dar mais informações sobre a ninhada anunciada ontem. Mais uma vez temos de um lado Pokemon Jr que chegou ao Toro de Calle provando que ainda tem muito a contribuir e acima de tudo que está preparado para quando exigido cobrir mais de uma cadela ao mesmo tempo com a mesma vitalidade de anos atrás. A fêmea desta vez foi a Diva que já foi testada com o sangue Razor Edge e os resultados foram excelentes vide One Million que não para de nos surpreender com sua evolução.
One Million é fruto da junção entre Diva e Razor Edge.
 
Os cruzamentos foram feitos com nosso protocolo habitual e o resultado foi uma ninhada de 10 filhotes que por sinal nos proporcionou o parto mais longo da história do canil, foram mais de 12 horas de trabalho e só a caráter de informação, o parto começou as 2 horas da manhã. Foi cansativo nível 10!
Dentre os filhotes uma fêmea muito menor do que o restante da ninhada não resistiu ao parto e infelizmente faleceu logo após ao nascimento.
Os filhotes são lindos, boas variações de cores e a estrutura irá ficar por conta do sangue. Diva já produziu excelentes cães e Jr dispensa comentários. Agora é aguardar e esperar o desenvolvimento da galera. 
Ao longo da semana iremos apresentara os novos Toros de Calle, mas enquanto isso fiquem com uma amostra do que eles fizeram!
Fêmea blue nose.
Fêmea fawn.
Macho blue nose.

Mais informações sobre filhotes através dos nossos contatos:

facebook.com/torodecalle
twitter.com/torodecalle
instagram.com/torodecalle

contato@torodecalle.com
(21) 7757-7605 / ID:696*11199

domingo, 27 de julho de 2014

E lá se foi a oportunidade...

Evento cancelado!
Boa tarde família! O post de hoje é para dar mais informações sobre o cancelamento do ABKC Bully Show que aconteceria em Blumenau. Isso mesmo, na última segunda-feira (21/07) o organizador do evento informou que o mesmo não mais aconteceria por que teve muita dificuldade de arrumar patrocínio e não ter tido até aquela data nenhum cão inscrito na competição. 
Bom, o que podemos dizer sobre essa notícia? Antes desse evento ser anunciado nós já falávamos da importância de um evento como este em nosso país, na época já falávamos que seria um divisor de águas na criação e que muitos "cães renomados" de "criações consagradas" sairiam do show menos importantes do que entrariam. Um evento como este daria espaço para criações e programas emergentes, daria visibilidade para o novo e sempre disse que isso não seria interessante para a "panela". 
Então amigos, com o cancelamento do evento nós voltamos ou melhor dizendo não saímos dos tempos em que quem tem o melhor é quem grita mais alto. Em nossa opinião faltou apoio e interesse de quem poderia fazer o show acontecer. Lamentamos pelo cancelamento apesar de não termos inscrito cães no show iríamos participar com um ou dois cães (estávamos aguardando termino de cio para concluir quem iríamos levar), mas quis o destino (ou desinteresse dos grandes) que o show não acontecesse. Então sendo assim continuamos a espera de um momento em que o título de melhor será concedido por alguém realmente capacitado e não por comentários sem critérios ou cheios de segundas intenções declarando cães como "TOP". 

domingo, 20 de julho de 2014

Novos Toros...

Boa noite família! Nesta sexta-feira (18/07) anunciamos a primeira cruza envolvendo o Pokemon Jr em nosso plantel. A cruza foi realizada logo após sua chegada ao canil e quis o "destino" que a primeira fêmea a ser testada com ele fosse a Fiona que até então tinha sido uma cadela que não conseguia produzir uma ninhada. 
Banner da cruza realizada entre Pokemon Jr xXx Fiona.
Realizamos o cruzamento em um protocolo alternativo e para nossa felicidade o resultado foi o nascimento de 6 novos pequenos Toro de Calle. Durante o parto demos total assistência a Fiona, mas ela se saiu super bem. 
Sobre os pequenos, ainda é cedo para falar, mas Fiona possui todos os pré-requisitos para produzir bons filhotes. Jr por sua vez dispensa comentários. O dog já produziu cães para diversos canis e suas produções continuam servindo de "ferramenta" para os melhores programas de criação do Brasil.  
Mais uma vez a junção de sangue nacional e razor edge se repete aqui em nosso quintal e esperamos os mesmos bons resultados que tivemos com o Mimo. 
Agora é só esperar o tempo para ver o desenvolvimento. Outro ponto importante é que desse cruzamento nós escolhemos mais um ou melhor dizendo mais uma integrante para o plantel. Ela está em observação e se mostrando promissora. 
Veja algumas das fotos da galerinha! 
Fêmea 1 - Disponível.
Macho 4 - Disponível.
Mais informações sobre filhotes através dos nossos contatos:

facebook.com/torodecalle
twitter.com/torodecalle
instagram.com/torodecalle

contato@torodecalle.com
(21) 7757-7605 / ID:696*11199

domingo, 13 de julho de 2014

Você está preparado para isso?

Boa tarde família! Queremos pedir desculpas pela ausência do post no último domingo, mas o motivo é plausível. Estávamos na reta final da gestação de uma das nossas matrizes e no domingo passado passamos o dia preparando tudo para o parto, pois os compromissos durante a semana seriam tantos que teríamos que estar preparados desde o final de semana para o parto que estava previsto para quarta ou quinta-feira. 
Trabalhamos e preparamos tudo para que no dia do parto fosse tudo tranquilo, pois além dos compromissos profissionais e pessoais ainda tínhamos a previsão de tempestades para os dias em que possivelmente   nasceriam os futuros Toro de Calle.
E na madrugada de quarta para quinta-feira a cadela começou a sentir as contrações e no dia em que tínhamos comemorações pessoais mudamos de planos para fazer o que deveríamos e gostamos. 
Os filhotes foram nascendo um a um e por volta de 3:30 da manhã nascia o último filhote. Terminamos de limpar a cadela, o local onde nasceram e ficariam os filhotes e o relógio já apontava 4:45 da manhã. Daria tempo para dormir nem que seja um pouquinho se não tivéssemos que estar de pé as 5 da manhã para outros compromissos.  
No fim da história novos 6 pequenos Toro de Calle e a certeza de que fizemos o que é certo. Por isso nos dedicamos 100% aos cães, por isso estudamos e trabalhamos em conjunto com nossos veterinários para que tenham uma vida saudável e feliz desde as primeiras horas de vida. 
Agradecemos a todos que respeitam e admiram nosso trabalho e dizer que o que faz a diferença no final é o trabalho e a dedicação.

domingo, 29 de junho de 2014

Inscrições abertas!

Fala galera, beleza? Na quinta-feira foram abertas as inscrições para o primeiro show da ABKC no Brasil. Como já havíamos anunciado aqui, o show acontecerá no dia 23 de agosto e contará com a presença ilustre do Dave Wilson. Importante informar que não teremos mais a presença do Marco Suarez como havíamos dito, pois o mesmo não integra mais o quadro de juízes da ABKC. 
Multiplique por 2,54 e obtenha os valores em cm.
As competições acontecerão nas seguintes categorias Pocket, Standard, Classic, Extreme e cães sem pedigree ABKC. Em todas elas teremos a divisão de cães de acordo com três faixas de idade do cão. De 3 a 6 meses, de 6 a 12 meses e de 12 meses em diante. Os cães premiados receberão medalhas e Best in Show troféu. Será permitido acampar no local desde que informado previamente, mas os organizadores passaram uma relação de hotéis tanto para os proprietários quanto para os cães (lista ao final). Também serão disponibilizados stands para locação, esses por sua vez servem para Lojas e canis, o valor de cada stand é de R$400,00. Falando em preço, a entrada é de R$10,00 para visitantes com a possibilidade de almoço por mais R$25,00 além da entrada. Quem for expor seus cães a inscrição será no valor de R$175,00 no caso de somente um cão escrito, R$140,00 para o segundo cão escrito, R$125,00 para o terceiro cão escrito, R$110,00 para o quarto cão inscrito e R$90,00 para o quinto e demais cães inscritos. Além disso alguns produtos da ABKC também estarão à venda como chaveiros (R$15,00 cada), adesivos (R$8,00 cada) e camisetas show (R$35,00 cada).
Para fazer a inscrição do seu cão no Show basta preencher a ficha abaixo e assinalar todas as informações, no caso de compra de algum produto basta escrever em caráter de observação na própria ficha informando o produto desejado e quantidade. Tudo deverá ser pago através de depósito bancário e enviado juntamente com a ficha para o e-mail: abkcbrasilsantacatarina@gmail.com
Todas as informações referente ao pagamento encontram-se nesta ficha.
Endereço do evento: Clube Blumenauense de caça e tiro. Rua Itajaí, 2560, Vorstar, Blumenau - SC.

Lista de hotéis cedida pelos organizadores: 
Hotel Plaza (47 - 3231-7000)
Ibis Blumenau (47 - 3221-4700)
Himmelblau Palace Hotel (47 - 3036-5858)
Hotel Glória (47 - 3326-1988)
Hotel Blumenholf (47 - 3326-4868)
Hotel Kloppel (47 - 3340-5086)

Hotéis para cães: 
Clube mascotes (www.facebook.com/clubemascotes)
Casa do Cão Colônia de Férias (facebook.com/casadocaoblu)

Todas as informações foram cedidas pelos organizadores.

domingo, 22 de junho de 2014

Hoje é top, amanhã não se sabe...

Fala aí família! Hoje eu queria ser mais ameno e fazer um post mais informativo e menos pessoal, mas sabe como é né? Não deu! Isso por que no meio da semana tivemos uma discussão sobre as importações que estão sendo feitas por criadores brasileiros nesses últimos meses. Ficamos meio "confusos" (talvez essa não seja a palavra correta) ao perceber que muitas das importações feitas são máquinas ao serem anunciadas e meses depois caem no esquecimento comum. E isso não se restringe a importações, algumas produções que também são anunciadas como um divisor de águas dentro da criação nacional ficam de lado e chegam até a não produzir uma ninhada sequer.
Parece que o tempo de "vida útil" de um American Bully é menor do que as outras raças. É incrível como alguns cães em um espaço de um ano vão de ótimos representantes a cães ultrapassados na criação. E assim fica aquela impressão de que o trabalho não tem continuidade! 
É claro que isso não é um problema dos cães, chegamos a conclusão que por ser uma raça relativamente nova e por ser novidade em nosso país a chegada de um novo cão em nosso território tornou-se uma ferramenta para se reafirmar como criador. 
Longe de criticar o ato de importar, o que nós gostaríamos de ver é o resultado dessas importações serem levados adiante em sérios programas de criação e quem sabe um dia serem tão exaltados quanto os cães que um dia desembarcaram em nosso país.

domingo, 15 de junho de 2014

DNA em nome da magia.

Hoje seremos rápidos e objetivos para expor nossa opinião sobre um tema que serviu de debate há algum tempo nas redes sociais. A realização de exames de DNA para legitimar determinados cães. Isso existe e bastante comum quando o assunto é American Bully e o motivo disso são as constantes "mágicas" que alguns criadores fazem em suas criações.
Essas "mágicas" acontecem quando as produções de alguns cães fogem totalmente do fenótipo dos seus ancestrais diretos. O aspecto abulldogado de alguns também são constantes alvos desses exames. Porém a forma como a ABKC propõem a realização do exame é discutível, uma vez que quem realiza a coleta do material é o próprio criador que no caso de já está mal intencionado (isso não é indireta para ninguém) tende a manipular o exame de forma que o resultado seja favorável a seus objetivos. 
Acreditamos que o exame de DNA só seria efetivo se fosse feito em toda a cadeia do cão suspeito, de forma que comprovasse a árvore genealógica de ao menos 4 gerações passadas. Seria primordial também que o exame fosse regra para as próximas gerações e principalmente que o sistema de coleta fosse imparcial. Enquanto isso não for feito continuaremos vendo "mágicas" sendo comprovadas pela ciência! 

domingo, 8 de junho de 2014

Um registro para cada cão.

E aí família Toro de Calle, beleza? Semana passada fomos “obrigados” a escrever sobre um tema não muito legal, mas nosso objetivo foi de tranquilizar e alertar vocês sobre o assunto. Hoje vamos falar sobre uma questão crescente na raça American Bully. Os surgimentos dos diferentes tipos de registros.
Em um tempo não muito distante o American Bully era apenas um fenótipo dentro da raça American Pit Bull Terrier, porém em 2004 foi criado o primeiro registro (ABKC) com o objetivo único de registrar esses cães e basicamente nesta data o American Bully se tornava formalmente uma raça independente. Depois por alguns conflitos de interesses (e preste bastante atenção neste termo) sugiram alguns outros registros como o IBKC, ABBA, EBKC, U.S. Bully Registry, RKC, BBCR entre outros com o objetivo principal de registrar os American Bullies que por algum motivo não atendiam os interesses daquela primeira instituição criada. Além desses existem outros registros que também passaram a registrar a raça, mas não tem nela seu foco principal que é o caso da CBKC, UKC e SOBRACI por exemplo. Então parando para fazer uma reflexão não me lembro ou simplesmente desconheço alguma outra raça com um número de possibilidades de registro tão grande quanto o American Bully. Isso se deve em primeiro lugar a falta de um padrão estabelecido pela própria ABKC o que abriu espaço para que outros grandes criadores e profissionais cinófilos criassem seus próprios registros.
É claro que o fato de termos vários tipos de registros diferentes é benéfico até certo ponto visto que não existe um monopólio, mas a quantidade enorme e esse crescimento desenfreado de registros tornam a raça menos homogênea e isso definitivamente não é bom.
Sabemos que alguns desses registros logo cairão em desuso, pois seu trabalho em promover a raça e os criadores que os usam é pequeno, basicamente são escritórios para vender papel. Mas acho que criar seu próprio registro é um caminho sem volta, pois os conflitos de interesses são grandes e a vontade de trilhar seu próprio caminho é enorme.