domingo, 29 de dezembro de 2013

Que venha 2014!

Feliz ano novo, adeus ano velho que tudo se realize no ano que vai nascer... 
Sinceramente não somos nenhuma boy band e esse nem é o nosso foco. Porém o trecho desta canção muito conhecida é bastante inspiradora.
Brincadeiras a parte vamos falar do futuro. A postagem da semana passada demostrou resumidamente como o ano de 2013 foi bom para o Toro de Calle, mas ouso afirmar que 2014 será ainda melhor. Teremos sim algumas grandes novidades reservadas para 2014 uma delas é o lançamento do nosso site, que por inúmeras vezes adiamos, finalmente irá sair. Outra é que traremos GRANDES novidades para o plantel, novidades estas que ainda não podemos revelar (rsrsrs), mas que acreditamos que possam fazer uma grande diferença para o nosso programa. 
Bom, melhor parar por aqui, pois vou acabar falando mais do que deveria. Boas festas e até o próximo ano. Abraço Bully!

domingo, 22 de dezembro de 2013

E lá se foi 2013...

Bom, esse não é o último post do ano, mas resolvemos deixar para hoje um balanço de como foi 2013 para a família Toro de Calle.
Era sabido por nós que esse ano algumas mudanças deveriam acontecer e elas graças a Deus aconteceram. Aumentamos nosso plantel, matrizes foram comprovadas, novos padreadores vieram para somar ao Logan afim de melhorar e aperfeiçoar nosso programa, profissionalizamos nossas ações, entramos em outras redes possibilitando que cada vez mais e mais pessoas possam participar do Toro de Calle, mudamos e aumentamos nossa estrutura física para melhor atender nossos clientes, chegaram alguns parceiros para somar a nossa equipe e muitos outros acontecimentos fizeram deste ano um ano de consolidação. 
Agradecemos a todos que acreditam em nosso trabalho.
Mas não vamos parar por ai, estamos sempre empenhados em mostrar o melhor para vocês e cada vez mais trabalhamos duro para isso. Ficamos felizes em realizar os sonhos de várias pessoas e esperamos realizar mais em 2014. 
E o que teremos para o próximo ano? Bom, isso aí fica para o próximo domingo! 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Tantas vezes Dax!

E aí família,beleza? Hoje falaremos sobre um dos ícones da raça, um cão que foi um divisor de águas para os American Bullies, um cão que deu notoriedade mundial a esses cães e mesmo não sendo unanimidade entre os criadores como um fenótipo ideal, é incontestável o seu legado para a raça tanto no ponto de vista genético quanto no ponto de vista de popularidade. 
Gr Ch Dax.
Achamos o Dax um cão fora do comum e talvez seja esse o termo mais adequado para classifica-lo. Ele imprimi em seus descendentes grande volume muscular, uma cabeça bem característica e um tamanho sempre uniforme (curto e baixo). Essas características fizeram dele um dos maiores senão o maior padreador American Bully do mundo. Com tudo isso seu sangue foi se proliferando pelo mundo e inbreedings com "N" vezes Dax são realizados até hoje. O que muitos acreditam ser sinônimo de qualidade pode não ser. Esses cruzamentos podem trazer a tona e principalmente perpetuar defeitos que até o Gr Ch Dax possui. Outro aspecto (este bem pessoal) é o fato de os cães gerados a partir destes cruzamentos fugirem um pouco do que esperamos de um American Bully. Acreditamos que seu sangue quando utilizado em cruzamentos abertos rende melhores frutos. Lógico tudo isso é opinião, mas vemos tantos bons cães filhos e netos do Dax tanto no Brasil quanto no exterior que eles já poderiam tomar rumos próprios dentro da história da raça e sair um pouco da sombra do pai. 
Afinal de contas uma raça não se faz com apenas um cão. 
E antes que venham nos questionar se estamos criticando um cão como o Dax ou coisa parecida. Estamos longe disso! Inclusive pretendemos utilizar seu sangue dentro do plantel em algum momento, mas utilizaremos de forma coerente sabendo que tem muito a contribuir, mas que tudo em excesso faz mal. 

domingo, 8 de dezembro de 2013

A falta que um "Nationals" faz...

Bom galera, hoje o blog passou a fazer parte oficialmente da rede Toro de Calle. E como teremos novos visitantes quero aqui reforçar que o objetivo deste é puro e simplesmente levar mais informação aos nossos clientes e admiradores, aqui escrevemos sobre nós e sobre assuntos que envolvem a raça. Através dos nossos pequenos textos vocês saberão nossas opiniões sobre assuntos que consideramos relevantes. Então chega de apresentações e vamos a um deles!
Foto: TOYSOLDiER
Mais uma vez ao observar o que o cenário da criação apresenta eu me deparo com a falta de um evento nacional que possa reunir os melhores criadores, os melhores cães etc. Sinto falta, pois seria legal para a raça, pois acabaria com a história de que o meu é melhor do que o seu, acabaria com as pessoas que se acham juízes e com uma série de outras coisas que não acho legal. Porém sinceramente vejo que muitos são os beneficiados pela falta de um evento como este, pois quem tem boca fala o que quer e quem já tem um programa consolidado massacra com críticas pesadas os novos programas que estão surgindo. Vejo que em alguns casos quem está no topo quer se manter no topo não por méritos próprios, criticam por que não querem que novos programas comecem a surgir. É claro que isso não se estende a todos, há exceções.
Acredito que um evento em nível nacional como é realizado pela ABKC daria espaço para premiar os trabalhos que já são muito bem realizados e daria oportunidade para quem está querendo fazer um bom trabalho. Acho que essa seria a melhor forma de separar o joio do trigo, de quebrar tabus e de valorizar o que é nosso. 

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Criação não é para aventureiros!

Bom dia galera que acompanha o Toro de Calle Off! Hoje resolvi fazer um post sobre um tema polêmico, mas bastante corriqueiro para quem está fazendo qualquer tipo de criação comercial, seja ela de qualquer raça de cães, gatos e outros animais considerados pets. Mas do que estou falando? Falo do modismo na criação e a falsa sensação de quem está iniciando que ficará rico da noite para o dia.
Bom, ao começar a introdução deste texto talvez já tenha causado algum impacto em um ou outro, pois utilizei a palavra “comercial” para dar sentido a palavra “criação”, mas isso é mais comum que qualquer um possa imaginar. Nós mesmos aqui no Toro de Calle criamos com o objetivo de gerar lucro. Sim, funcionamos como uma empresa e é claro que adoro o que faço e amo meus cães, mas se não fosse para ganhar dinheiro teria um ou dois em meu quintal e apenas isso.
O que é mito e tabu para muitos é regra para quase todos. Salvo as exceções de grandes empresários, socialites ou até mesmo “pobres” magnatas que são apaixonados por cães e investem pesado em plantel e estrutura apenas para ser competitivo em seu passa tempo.
E vendo tudo isso de fora, cresce absurdamente o numero de pessoas querendo criar American Bully. Pessoas que compram um casal e utilizam o mesmo para tirar um dinheiro extra. Pessoas que tem outras profissões e se dizem criadoras somente para tirar um a mais durante o ano. Isso sempre existiu e sempre vai existir. Sinceramente eu não condeno desde que seja feita da forma correta respeitando os limites dos cães, tendo um acompanhamento veterinário, atendendo bem os clientes etc.
E vocês poderiam me perguntar e por que está crescendo tanto o numero de “criadores” (perceberam as aspas? Rsrs)? Olha a resposta é tão simples quanto o cálculo que o sujeito faz na hora de decidir criar cães. Geralmente ele está procurando um cão para pet e se depara com os preços, pelo porte do cão já imagina quantos filhotes uma cadela pode ter por ninhada e voltando para os preços ele se imagina em uma cama cheia de dinheiro após ter vendido todos os filhotes de uma ninhada de uma cadela que ele nem comprou ainda.
Porém as coisas não são simples assim. Em primeiro lugar você está lidando com vidas e muitos imprevistos podem acontecer. Já parou para imaginar que a cadela pode não ser uma boa matriz? Já colocou o custo de uma ração de qualidade? Já está preparado para limpar muita sujeira de cachorro dia e noite? Está preparado para gastos com veterinários? Está preparado para separar qualquer briga se ela acontecer? Está preparado para colocar os cães para acasalar? Está preparado para cuidar da matriz antes, durante e depois da gestação? E o parto nem se fala. Já se imaginou acordar praticamente de hora em hora para fazer revezamento nas tetas da cadela de modo que todos os filhotes possam mamar? E os gastos com os filhotes até eles irem para um novo lar, já imaginou? Enfim, eu poderia ficar aqui falando inúmeras coisas até o próximo domingo, mas o que eu não poderia deixar de falar que além de tudo isso o comercio de cães (ou qualquer outro pet) ainda sofre como em qualquer outro negócio com a concorrência do mercado e isso na maioria das vezes não é pensado por nenhum criador. A boa notícia é que se você quiser fazer uma coisa séria com um programa de criação bem planejado sempre terá espaço para você! Veja o que aconteceu com o Buldog Francês. Veja quantas pessoas estavam criando a 10 anos atrás e quantas estão criando hoje. Isso devesse ao modismo, você mesmo que está lendo este post já deve ter imaginado adquirir um Buldog Francês. Por isso muita gente começa a criar, mas aquele criador que estava criando a 10 anos, irá continuar no mercado e os aventureiros que vão na onda do modismo vão fazer outra coisa quando a onda passar. Sempre foi assim e irá continuar sendo, falo com propriedade, pois ter um canil sempre foi meu sonho de criança e folhava as páginas da Cães & Cia me imaginando com meus Pit Bulls e pude perceber isso.
Como disse aqui o assunto é polêmico e daria para ficar falando durante toda uma semana, mas como nosso tempo é curto, vamos ficando por aqui. Até a próxima semana!

domingo, 17 de novembro de 2013

Amarula Toro de Calle.

Filha de Mimo xXx Chitara, Amarula é a segunda matriz produzida aqui no canil. Ainda é muito cedo para dizer o que ela irá representar como matriz, mas como o post é para esclarecer o motivo de nossa escolha, então vamos lá.  A escolhemos, pois já fazia parte dos nossos planos ficar com uma fêmea desta cruza e colocar dentro do canil mais uma filha da Chitara que consideramos uma das nossas melhores matrizes, pois reúne um ótimo caráter para os cães que queremos produzir aqui no canil, é bem baixa e curta e como mãe é sensacional. Teve até agora três montas naturais proporcionando ao canil 26 lindos filhotes. Sabendo da qualidade da cadela tanto em aspectos comportamentais quanto em aspecto físico (porte e estrutura) decidimos ficar com mais uma filha dela e que talvez seja a última representante fêmea da Chitara aqui no canil (já temos a Blue Marine e logo faremos um post sobre ela).
Amarula Toro de Calle com 2 meses.
Amarula possui uma coloração/marcação chamada “buckskin” que ainda não possuíamos no plantel, mas foram outros atributos que chamaram nossa atenção. Baixa e curta Amarula ainda sim foi um dos filhotes mais pesados de sua ninhada e carrega excelentes cães em seu pedigree.
Bom, acho que está mais que explicado. Como disse ainda é cedo, mas essa é uma das nossas apostas para dar continuidade ao nosso programa de criação. Esperamos ter acertado em nossa escolha.  

domingo, 10 de novembro de 2013

Última ninhada do ano em Toro de Calle Kennel!

Ontem foi anunciada a última ninhada Toro de Calle nascida em 2013.
O ano foi muito produtivo e gostamos muito dos filhotes que têm nascido por aqui. Cães fortes, compactos, com expressão fechada e principalmente cães muito saudáveis. E para encerrar esse ciclo fizemos um outcross que promete render alguns bons frutos.
Novamente de um lado temos o Mimo que carrega em seu pedigree grandes American Bullies do cenário internacional como Droopy, Lil Bear e Pokemon. Um cão super compacto, com uma coloração ímpar e que apresenta uma docilidade fora do comum. Já do outro lado temos a Diva. De produção nacional, Diva é filha do grande Juggernaut com a Yohhana dois cães que produziram bastante no cenário nacional e que foram pilares para inúmeras criações. 
Banner da cruza realizada entre Mimo xXx Diva.
Com este cruzamento pretendemos gerar cães mais compactos e robustos. Já vimos o que ambos são capazes de fazer, Mimo produz filhos muito bonitos e harmoniosos e Diva é matriz que mais imprime massa muscular em seus filhotes. Eles nasceram no dia 26 de outubro e só serão divulgados no próximo sábado. O que podemos adiantar? É que gostamos muito do que vimos. 

domingo, 3 de novembro de 2013

Mobilidade e a saúde física dos American Bullies.

Galera, mil desculpas por não ter publicado o post que estava preparado para a semana passada, mas é que tivemos uma surpresa com o nascimento de uma grande ninhada. Na próxima semana daremos mais informações. 
Enquanto isso vamos falar aqui sobre a saúde dos nossos cães. Nós aqui do
Filhote com pouco mais de um mês mostrando sua saúde.
Toro de Calle vemos muitos filhotes lindos serem vendidos, com bastante volume corporal, cabeças enormes e até mesmo alguns com muitas rugas (o que neste caso não é desejado por nós). Tudo isso torna o filhote muito bonito na hora da compra, mas pode ser uma grande frustração para quem está adquirindo o cão com o passar do tempo.
O problema mais comum nos aspecto físico de um American Bully é o sobre peso ou até mesmo a obesidade. Isso acaba deixando-o sem uma movimentação adequada. Filhotes que para serem vendidos são engordados ao extremo tornando perceptível sua falta de agilidade. Logicamente o American Bully não é um cão para esporte ou para trabalho, mas ele tem que ter mobilidade. Isso também é saúde para o seu cão, assim como em nós seres humanos, gordura não quer dizer saúde. Na semana passada vi outro criador dizendo que colocou seu padreador em uma dieta e o fez perder 5kg. O cão não deixou de ser bonito e a sua saúde agradece.
Alimentação regrada aliada a atividades físicas leves, tais como rápidas caminhadas já são suficientes para deixar seu cão fisicamente saudável. É claro que tudo isso deve ser acompanhado por um médico veterinário que conheça a raça e saiba reconhecer as suas necessidades e limitações. Nós aqui vamos continuar buscando a robustez, mas sem perder a mobilidade. 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O nosso pedigree!

Galera infelizmente ontem não pude publicar nosso post dominical, mas foi por uma boa causa. Porém com atraso de 24 horas estamos aqui para falar sobre um tema muito relevante para quem quer um American Bully como pet e principalmente para quem quer iniciar uma criação. Em qual Kennel Club meu cão deve ser registrado?
Para responder esta questão deveríamos nos aprofundar em cada um dos principais registros que existem por aí. Mas fazendo isso o post ficaria muito grande e a leitura cansativa, então indo diretamente ao assunto, em minha opinião, o principal registro de um American Bully é o ABKC – American Bully Kennel Club. E por que ele é o principal? Por que ele foi criado por quem criou a raça (isso por si só já seria determinante em minha opinião), por que ele foi o primeiro a reconhecer este cão como uma nova raça (surgiu em 2004), por que todos no mundo compram cães com pedigree ABKC e por que seus Bullies Shows são os melhores.
American Bully Kennel Club.
Outro fato determinante para o sucesso da ABKC é que grande parte dos principais American Bullies de renome no mundo tem seus registros na ABKC e estes geram descendentes que também terão registro nesta instituição. Isso gera uma onda positiva e perpetua o registro.  
É claro que a recente notícia de que a UKC está registrando cães da raça American Bully vai dividir os criadores ao redor do mundo, pois trata-se de um registro com mais de 100 anos. Porém vale lembrar que outros registros como IBKC, ABC, ABBA, US Bully Registry etc estão tentando há algum tempo ocupar o posto de registro número um dos American Bullies. Aqui no Brasil a SOBRACI e a promissora American Bully Association tentam ganhar o mercado nacional e surgem como alternativas, mas sinceramente basta o Sr Dave Wilson se coçar coçar e tornar a ABKC cada vez mais global e nem a UKC irá roubar seu posto.

domingo, 13 de outubro de 2013

100% Bully?

Vemos muitos falando sobre o “100% Bully”! Pois bem, o que esse termo quer dizer? O pior é que muitas das vezes esse termo “sai da boca” de quem vende os cães, os ditos “criadores”, mas que ao utilizarem desvaloriza a raça. Ninguém vê anúncios dizendo: “100% Buldog Inglês”, ou “100% Golden Retriever”. Logicamente muito disso tem relação à novidade que são os American Bullies. Porém vejo muitos anúncios de filhotes de American Bullies com o termo “100%”. 
Ora bolas ou é American Bully ou não é American Bully, se existe um pedigree (que nos casos do American Bully existem vários) que define aquele cão como tal, por que o criador tem que dizer o percentual de uma determinada raça que aquele cão carrega? Simples assim! Se o cão é um American Bully documentado (com pedigree) ele é um cão de raça, não existe essa de percentual para afirmar uma qualidade ou fenótipo do cão. 
Logicamente existem American Bullies mais bonitos aos olhos de cada pessoa e ela vai dar valor ao que ela gosta. Porém isso não significa que um cão que não te agrada não seja um autêntico American Bully, tudo depende do trabalho genético que aquele exemplar carrega dentro do objetivo de criação do canil. Agora, se há adição de outras raças diferentemente do American Pit Bull Terrier e American Staffordshire Terrier naquele dito American Bully ai sim o criador deve informar ao comprado qual raça foi adicionada e o objetivo. E por que eu bato sempre na tecla do objetivo? Por que não existe criação sem objetivo, quando isso ocorre é simplesmente um comercio de cães. E galera, antes que me perguntem por que é "permitida" a adição de APBT e AST nos American Bullies, por que até onde consta nos registros literários a raça surgiu a partir da junção desses dois cães. E ainda sim poderia ser indagado se a adição de APBT e AST não seria considerado andar para trás. Olha a resposta para isso é mais simples ainda, o American Bully é uma raça democrática que permite uma variação de 5 padrões (acredito que estamos encaminhando para afunilar isso) de acordo com o principal registro da raça ABKC. E o “refresco” de APBT ou AST pode ser favorável para corrigir uma série de defeitos que muitos American Bullies podem apresentar, tais como prognatismo, estrabismo e fuço curto demais o que neste último pode acarretar problemas respiratórios.
Então caros amigos, vamos esquecer isso de “100% American Bully”, pois isso é redundante quando existem vários pedigrees que regulamentam a raça.  

domingo, 6 de outubro de 2013

Por que custam isso?

Muitos clientes e curiosos chegam até nós e nos perguntam: Por que os American Bullies são “tão caros”? A resposta que eu dou é que eles são caros pelo mesmo motivo que uma Ferrari 430 Scuderia custa um milhão de reais.
Um Buldogue Francês custa de quatro a oito mil reias, assim como um Bull Terrier Miniatura. E por que eles custam esse valor? Vários motivos vão influenciar no preço de um cão. Estrutura do canil, porte do animal, cuidados na criação e dificuldade na procriação, genética que os cães do plantel carregam e o principio básico da oferta e da demanda. Todos esses fatores vão influenciar no valor do cão.
A máxima de que “o que é bom custa caro” não é tão máxima assim para os cães, pois o que é bom para mim, pode não ser bom para você. Mas é claro que cães da mesma raça apresentam uma variedade no preço e isso pode sim ser fruto de qualidade que o filhote possui. Por esses motivos encontramos Bullies de diversos preços, já soube inclusive de filhotes sendo vendidos a trinta mil dólares nos EUA, mas isso não é comum. Hoje encontramos filhotes custando entre dois a doze mil reais.
Nós do Toro de Calle precificamos as ninhadas de acordo com o “trabalho genético” que cada uma carrega. Quanto mais apurado for o “sangue” dentro do nosso objetivo/programa de criação for a ninhada, mais cara ela vai ser.
Há criadores que precificam um filhote ou ninhada de acordo com a cor do pelo e/ou cor da trufa do cão, porém canso de ver filhotes com coloração menos comercial ficarem mais bonitos e harmoniosos que cães que foram escolhidos por conta da sua cor ou marcação. Lógico que o mais experiente criador fica tentado a escolher um cão para o seu plantel por que ele tem uma marcação ou cor fora do comum, mas isso só é determinante para iniciantes.
Existem também aqueles que vendem o cão mais caro ou mais barato caso a venda esteja correlacionada a entrega ou não do pedigree, ou simplesmente por que o cão é registrado nesse ou aquele Kennel Club . Quanto a isso eu sou bem direto, sou totalmente contra aos “criadores” que vendem cães sem pedigree, mas sou igualmente contrário a ideia de que um mesmo filhote possa custar mais ou menos por causa de um pedaço de papel.  Pedigree é importante sim, só vendemos cães com pedigree, mas ninguém sai para passear com o pedigree na coleira.
Então mais uma vez fica a dica para que pesquisem o que está comprando, tente saber por que custa aquele valor e deem valor ao que é bom independente do preço.

*Os valores aqui mencionados foram tirados de sites especializados tais como: WebMotors e Cães&Cia.  

domingo, 29 de setembro de 2013

Importar ou não?

Uma das primeiras perguntas de quem procura um American Bully é onde comprar. Muitos acreditam que o melhor a ser feito é comprar um cão no exterior principalmente EUA e México. O que na minha opinião é uma completa besteira.
Em primeiro lugar a pessoa que está buscando um American Bully tem que saber qual é o seu real interesse ao adquirir o cão. Se o motivo for para pet (companhia) aconselho que compre o cão em um local onde possa visitar, pois além da estrutura do cão o temperamento é outro ponto muito importante e isso você só irá identificar ao vivo.
Em segundo lugar, vale lembrar que já existem no Brasil cães com estrutura tão boa ou até melhores que cães no exterior. Logan por exemplo tem porte físico e estrutura muito similar ao Lil King Kamali Grande Campeão Nacional ABKC e Grande Campeão ABKC Homie que é o pilar para o sangue que formou o Grande Campeão ABKC Beastro. Isso é só um exemplo de que temos material aqui para trabalharmos.
Logan padreador Toro de Calle Kennel.
Um terceiro ponto a ser analisado é que aqui no Brasil existem muitos criadores que agem de má fé e não são profissionais. Porém lembro que isso existe em qualquer lugar e caso isso aconteça em uma compra no exterior suas chances de resolver esse problema será bem menor.
O fato é que o sucesso em sua aquisição de um American Bully está mais relacionado ao valor que você pretende investir e principalmente o seu objetivo, pois aqui mesmo no Brasil já existem cães para todos os gostos e bolsos.  Então deixe a importação para criadores com mais experiência e que estão dispostos a fazerem um investimento de risco. Importar um cão pode te dar muita dor de cabeça e até mesmo um grande prejuízo financeiro.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Ninhada para setembro - Toro de Calle.

Neste mês de setembro temos o orgulho de apresentar a mais nova ninhada do Toro de Calle!
Descendentes de grandes American Bullies do cenário nacional Mimo e Chitara nos proporcionaram filhotes com excelente qualidade. 
Mimo é filho do Mamute e Kamikaze! Ele carrega lendas do American Bully como: Droopy, Lil Bear e Pokemon. Bom acho que não preciso dizer mais nada sobre esse carinha. 
Já Chitara é uma das melhores matrizes do Toro de Calle Kennel. Filha do Baby e Puma, ela carrega em seu sangue alguns cães lendários tais como: Thor Thompson, First Lady e Gr Ch Thug.
Banner da cruza realizada entre Mimo xXx Chitara.
Além de juntarmos o sangue desses dois excelentes exemplares da raça a cruza foi realizada com o objetivo de inserir em nosso plantel cães mais curtos como o Mimo e futuramente reproduzir filhotes tricolores. A cruza foi realizada e os molequinhos já nasceram, agora é esperar o desenvolvimento da galera.